Inaugurando uma nova plataforma da aliança Renault-Nissan para compactos e com uma proposta bem pensada ao trazer para a categoria dos modelos de entrada o desejado visual “aventureiro” com boa altura em relação ao solo, o Renault Kwid foi extremamente bem aceito pelo público brasileiro. Prova disso é que em seu primeiro mês “cheio”, a novidade tornou-se o segundo carro mais vendido do Brasil ao somar 10.358 unidades emplacadas em setembro. Com isso, o estreante Kwid deixou para trás modelos bem estabelecidos como o Hyundai HB20 e o Ford Ka.

Se o público está querendo o Kwid, nada mais natural que algumas dúvidas acerca do modelo despertem na hora da compra. Por isso é interessante analisarmos qual é, entre as três opções que a Renault preparou para o Kwid, a versão mais interessante do hatch. 

Pensado desde o início para custar pouco, mirando em mercados emergentes como Índia e Brasil onde o fator preço é decisivo na hora da compra, o Renault Kwid tem em sua versão de entrada Life a “isca” que leva muita gente a pelo menos conhecer mais detalhes sobre ele. Tabelada em R$ 29.990, o Kwid Life é um dos raros modelos novos que não ultrapassam a barreira muitas vezes psicológica dos R$ 30.000 e pode fazer com que aquele público que sempre comprou carros usados enxergar no Kwid a possibilidade de adquirir seu primeiro carro 0 km, um raciocínio semelhante ao que a Chery usa como argumento de venda para seu QQ Smile de R$ 25.990. 

Só que não é interessante optar pelo Kwid Life. Explico: a versão não traz praticamente nenhum item de conforto, devendo desde os vidros elétricos dianteiros até o ar-condicionado e a direção elétrica. Esqueça até mesmo o limpador do vidro traseiro! Apesar de todas as versões do Kwid contarem com 4 airbags de fábrica, o que é louvável, se você optar pelo Kwid Life dificilmente terá um carro com boa liquidez (facilidade de revenda) no futuro. Hoje mesmo entre os carros de entrada recursos como ar-condicionado, direção com algum tipo de assistência, além de travas e vidros elétricos tornaram-se praticamente obrigatórios na preferência dos consumidores. É nítido que o Kwid Life existe meramente como uma opção para ser um atrativo dentro da lista de preços da Renault ou, no máximo, terá uma boa aceitação entre frotistas, onde a economia nos custos é fundamental. 

 
 
Renault Kwid 2018
 
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
 
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
 
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
 
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
 
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
 
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
 
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
 
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
 
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
 
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
 
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
 
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
 
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
 
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
 
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
 
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
 
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
 
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
 
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
 
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
 
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
 
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
 
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
 
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
 
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
 
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
 
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
 
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
 
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
 
Renault Kwid 2018
Renault Kwid 2018
/
 
 

Com isso, chegamos naquela que tem tudo para ser a versão mais racional e interessante para o Renault Kwid: a opção intermediária Zen. Por R$ 35.990, a versão representa um salto até que considerável em termos financeiros, já que estamos falando de um preço praticamente 20% acima da versão de entrada, porém o Kwid Zen deixa a linha de montagem já equipado com ar-condicionado, direção elétrica, travas e vidros elétricos e rádio original de fábrica com Bluetooth e entradas de mídia. Dentro da proposta de racionalidade do Kwid, a versão Zen é a que faz mais sentido dentro do portfólio preparado pela Renault. Vale a pena lembrar que a marca francesa não oferece opcionais para o Kwid, o que não deixa de ser uma decisão sábia da Renault, já que dessa forma o consumidor opta pelo pacote que mais lhe agrada e não precisa “montar” um carro, algo que não lhe renderá nenhuma vantagem financeira na hora da revenda ou vai reduzir a desvalorização que incide sobre o modelo.

Até o momento a versão topo de linha do Renault Kwid reside na configuração Intense. Aqui o hatch passa a oferecer um acabamento em geral mais caprichado, com direito à apliques em plástico preto brilhante no painel e uma calota escurecida tão bem feita que, quando vista de longe, até confunde com uma roda de liga leve. 

O Renault Kwid Intense também traz algo que torna-se cada vez mais fundamental para muitos consumidores, no caso a central multimídia. Os R$ 39.990 pedidos pela Renault no Kwid Intense também dão direito ao trio elétrico, computador de bordo e um tecido mais caprichado para os bancos. 

Considerando que em todas as versões você vai encontrar o mesmo motor 1.0 SCe em sua configuração de até 70 cv e 9,8 kgfm de torque sempre acompanhado pelo câmbio manual de 5 marchas, não creio que vale a pena pagar cerca de R$ 40.000 pelo modelo basicamente por uma configuração que traz como principal destaque uma central multimídia que está longe de ser a mais moderna do mercado. Falta para a Media NAV um atributo muito requisitado hoje em dia, que são os sistemas de espelhamento de smartphones seja o Apple CarPlay, Andoid Auto, MirrorLink e outros.

A central multimídia Media NAV já foi mais interessante sobretudo quando estreou na gama Sandero e Logan por oferecer navegador integrado e contar com um preço acessível. No caso do Kwid Intense, ela também agrega a câmera de ré. Vale a pena, contudo, esperar pela evolução do aparelho, que provavelmente vai estrear no Brasil em conjunto com o próximo facelift programado para a dupla Sandero e Logan seguindo os passos do que foi visto na Europa. Depois de estrear no hatch e no sedã, a central multimídia com espelhamento e mais avançada será difundida para o restante da gama nacional da Renault e, aí sim, Kwid Intense terá mais argumentos para justificar os R$ 4.000 extras em relação ao Kwid Zen.

Por tudo isso, se você considera a compra de um Renault Kwid vale a pena destinar seu dinheiro para a versão intermediária Zen. Com um custo-benefício interessante, conjunto mecânico bem eficiente e muito econômico aliado à cabine até que razoável para acomodar 4 adultos e um porta-malas acima da média para os modelos de entrada (290 litros), sobram argumentos para entender porque o Kwid vende tanto.

Em 2018, a gama Kwid deverá ganhar o reforço da versão Outsider, que deverá se tornar a opção topo de linha com um apelo “aventureiro” mais realçado e trazendo o mesmo nível de equipamentos da versão Intense. Quando ela chegar às concessionárias veremos se ela terá atributos para desbancar a versão Zen como a alternativa mais inteligente na gama.

César Tizo

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo |

Veja mais notícias da marca