A agência de propaganda Lew’Lara criou para a Nissan um daqueles jingles comerciais que não saem tão cedo da cabeça. Quando menos se espera você pode estar assobiando ou cantarolando a “Maldição do Pônei”, além de provavelmente ter enviado o mesmo vídeo com o comercial da picape Frontier para mais pessoas. Até crianças já cantam a música.

Sempre agressiva em suas campanhas publicitárias, a Nissan desta vez provoca seus rivais ao afirmar que sua camionete tem cavalos de verdade no motor em vez de “pôneis malditos”, como a concorrência. No comercial os pôneis ainda cantam: “Venha com a gente atolar. Odeio barro, odeio lama, que nojinho! Não vou sair do lugar”. O vídeo oficial no Youtube já teve mais de 4 milhões de acesso. Deu certo. Mas a marca não parou por aí.

O comercial termina com o pônei mandando um beijo e dizendo “te quiero”, ou “quero você”, em castelhano. Isso pode ser entendido como um recado da Nissan a Ford, Toyota e Volkswagen, que fabricam as picapes Ranger, Hilux e Amarok, pela ordem, na Argentina. Até o momento nenhuma reclamação foi enviada à marca e a propaganda segue no ar.

Caso de polícia

Essa não é primeira campanha provocativa da Nissan, nem a segunda e muito menos o terceiro comercial da marca nesse estilo. Em todos os outros a fabricante foi intimida pelo Conar (Conselho Nacional de Autoregulamentação Publicitária) e teve de tirar os anúncios do ar.

O caso mais grave aconteceu em março deste ano, quando a Nissan pegou pesado ao comparar engenheiros da Ford com abastados rappers em jalecos cercados por mulheres com roupas sensuais. No vídeo, a empresa japonesa comparava o preço mais baixo do Tiida em relação ao do Focus. A marca do oval azul não gostou e prestou queixa na polícia.

Em outras peças, a Nissan também provocou os concorrentes com a Livina. Nesse comercial a marca encenou executivos concorrentes jogando seus engenheiros em tanques de ácido (o pedido de desculpas foi um tanto sarcástico). A montadora ainda ironizou, em outro comercial, as picapes Amarok em Hilux ao dizer (com a dupla sertaneja Railuque e Maloque) que os veículos foram “criados no playground, jogando futebol no carpete e tomando leitinho com pera”.

Thiago Vinholes

|