Tesla ''queima'' mais de R$ 25.000 por minuto por falhas de produção

Problemas na linha de montagem do Model 3 pode afetar o caixa da montadora
Tesla Model 3

Tesla Model 3 | Imagem: Divulgação

Aclamada por seu estilo inovador de gestão e a sofisticação de seus carros elétricos, a Tesla está enfrentando seu primeiro grande obstáculo envolvendo seu primeiro modelo com um volume maior de vendas, no caso o Model 3.

A produção do Model 3 começou a cerca de cinco meses, mas a Tesla está enfrentando uma série de contratempos envolvendo a fabricação do modelo. Alguns rumores apontam para problemas na montagem das baterias, outros para o processo de fabricação da carroceria, o que motivou a Tesla a anunciar que a quantidade de unidades que deveria ser entregue até este ano só será atingida até o fim do primeiro trimestre de 2018.

Até o fim deste ano, a Tesla desejaria estar operando em um ritmo de 5 mil unidades produzidas por semana, mas, neste mês, a produção atingirá apenas a casa de centenas de unidades, de acordo com alguns relatórios.

Segundo a Bloomberg, que trouxe a informação a público, o CEO da Tesla, Elon Musk, já havia previsto alguns entraves com o início da produção do Model 3, criando um caixa de US$ 3,2 bilhões antes do novo produto chegar às lojas. Segundo rumores, a empresa já gastou a metade desse valor para compensar os problemas com a produção do Model 3 e precisou gastar mais US$ 1,4 bilhão no terceiro trimestre deste ano.

De acordo com a Bloomberg, a empresa “queimou” até agora cerca de US$ 8.000 por minuto, pouco mais de R$ 25.000 com a produção do Model 3 estagnada nas linhas de montagem. Em algumas contas da agência especializada no mercado financeiro, a Tesla precisaria de um aporte de US$ 2 bilhões em breve para sustentar suas operações, caso não resolvar todos os problemas e atinja o nível de produção programado para o Model 3 até o início do próximo ano.