Tons de laranja ganharão destaque entre os carros na América do Sul em 2020

BASF revela as tendências de cores automotivas para 2019 e 2020; cinza segue ''importante''
Renault Kwid 2018

Renault Kwid 2018 | Imagem: Divulgação

A BASF, uma importante fornecedora para as principais fabricantes globais, revelou nesta semana sua coleção ACT/9, que revela as tendências de cores automotivas para este ano e também avançando para 2020.

Especificamente para o mercado da América do Sul, a BASF adianta que tonalidades na cor laranja devem ganhar espaço por aqui. “Um laranja saturado é suavizado com um efeito mate que expande o efeito visual para vários ambientes. Sua pigmentação é simples, embora rica, e traz as características óbvias da natureza”, explica a empresa.

Segundo a BASF, o cinza também permanecerá importante na região. “O cinza continua sendo uma cor importante para a indústria automotiva na região (América do Sul) e uma sutil interação de tons eleva um espaço trivial a um patamar especial e futurista”, acrescenta a BASF em seu comunicado.

“As tendências globais de cores espelham o compromisso positivo de conectar as inovações digitais com as necessidades humanas. A crescente relevância da digitalização destaca a aceitação do apoio computacional. Uma revisão decisiva da forma como vemos os recursos tem moldado novos cenários de produto e padrões de consumo”, resume a BASF sobre o que norteou a empresa neste ano para elencar as cores que deverão ganhar destaque nos próximos meses.

Para a região da Ásia-Pacífico, a BASF adianta que “a face mais emocional da tecnologia automotiva do futuro se revela em cores escuras, vitais naturais, como o cinza metálico áspero ou o roxo sensual”. Na Europa, Oriente Médio e África “cores singulares, como o violeta metálico, podem ficar mais comuns”. Ainda nas três regiões citadas, “metálicos sofisticados no espaço de cores bege e dourado” também devem ganhar espaço, conclui a fornecedora alemã de tintas automotivas. 

 

Volkswagen Jetta 2019
Cor cinza permanecerá importante na região, destaca relatório da BASF
Imagem: Divulgação