Tracker foi o veículo que mais cresceu em vendas em 2020, Joy Plus, o que mais caiu

Nova geração do SUV da Chevrolet fez emplacamentos triplicarem mesmo com a quarentena prejudicando o mercado
Novo Tracker: SUV liderou crescimento nas vendas em 2020

Novo Tracker: SUV liderou crescimento nas vendas em 2020 | Imagem: Divulgação

Em um ano em que as vendas de veículos novos no Brasil não chegaram a 2 milhões de unidades por conta do isolamento social por todo o país, ao menos alguns modelos conseguiram ampliar seus emplacamentos durante 2020.

Entre os 100 modelos mais emplacados no ano passado apenas 13 viram seus números crescerem enquanto na média a queda nesse grupo foi de quase 33%. A maior exceção de 2020 foi o Tracker, SUV compacto da Chevrolet que passou a contar com uma nova geração produzida no Brasil.

O utilitário esportivo teve de longe o crescimento mais expressivo em vendas: 202% se comparado a 2019. Foram quase 50 mil unidades ante pouco mais de 16 mil carros no ano anterior.

Já na ponta de baixo da lista está o sedã Joy Plus, novo nome do Prisma, que foi ofuscado pelo Onix Plus. O modelo da Chevrolet caiu 100 posições no ranking, terminando 2020 com apenas mil emplacamentos, ou uma queda de quase 99%.

Em seguida está outro SUV, o Renault Captur, que acumulou 62% de queda, com apenas 10,8 mil emplacamentos. A Renault, por sinal, foi a segunda marca que mais perdeu vendas em 2020, atrás apenas da Citroën, considerando as 20 mais emplacadas no país.

Confira a seguir os cinco modelos que mais cresceram e os que mais perderam terreno em 2020:

BMW Série 3 2021
BMW Série 3 2021
Imagem: Divulgação

Os que mais cresceram

1º Chevrolet Tracker – 202,3%

O utilitário esportivo foi uma das grandes novidades de 2020 e não decepcionou. Se o modelo anterior, produzido no México, tinha vendas apenas razoáveis, o novo, fabricado no Brasil, pode finalmente colocar a Chevrolet numa briga mais direta no segmento de SUVs compactos. O Tracker chegou a liderar por algum tempo as vendas mensais e promete brigar pela ponta em 2021.

2º BMW Série 3 – 39,4%

O vice-líder em crescimento é o sedã alemão, que é importado e também montado no Brasil. Tudo por conta da nova geração, que estreou no Brasil em 2019 e ganhou volume no ano passado. Graças a isso, a vendas subiram de 3,7 mil para quase 5,2 mil unidades em 2020, alta perto de 40%.

3º Audi Q3 – 26,9%

Outro caso de renovação da linha que driblou a quarentena foi o do SUV Q3, da Audi. A estreia da nova geração no início de 2020 mudou a situação do modelo, que terminou 2020 com quase 2,2 mil emplacamentos, comparado aos 1,7 mil de 2019.

4º Volvo XC40 – 18,1%

Mais um SUV na lista, desta vez o menor dos utilitários esportivos da Volvo, o XC40. A marca sueca, que bateu recorde de vendas no Brasil, viu seu modelo chegar a quase 2,9 mil emplacamentos, mais de 400 unidades superior a 2019. Nesse caso, sem necessidade de uma nova geração.

5º Fiat Uno – 14,5%

Quem diria, o quinto modelo da lista é o velho e bom Uno. Relegado a um papel secundário no portfólio da Fiat, o hatch compacto voltou a crescer nas vendas, terminando 2020 com 22,9 mil emplacamentos, alta de 14,5% em relação aos 20 mil carros de 2019. Trata-se da segunda alta seguida nas vendas, mas vale observar que o compacto ainda está a anos-luz dos seus bons tempos quando chegou a emplacar 274 mil carros em 2011.

Chevrolet Joy Plus 2020
Chevrolet Joy Plus 2020
Imagem: Divulgação

Os que mais encolheram

1º Chevrolet Joy Plus -98,6%

Diferentemente do Onix, cuja nova geração manteve seu nome, o Prisma acabou sendo substituído pela denominação ‘Onix Plus’. Essa estratégia fez o sedã compacto quase desaparecer do mercado, com apenas 1.031 emplacamentos em 2020. O tombo foi histórico já que em 2019, ele havia vendido 73 mil carros.

2º Renault Captur - -62,1%

O SUV, que é uma mistura do estilo do Captur europeu com a plataforma do Duster, tem sido uma decepção. A marca até hoje não conseguiu emplacar mais que 80 mil carros no Brasil, a despeito de ter um apelo maior que o irmão mais velho. Há de se considerar que a Renault teve um ano péssimo, mas o Captur conseguiu ser seu pior modelo em 2020.

3º Kia Sportage -60,2%

O modelo mais vendido da Kia no Brasil teve um ano de pesadelo. O Sportage quase caiu tanto quanto o Captur, certamente prejudicado não só pela quarentena como também pela alta brusca do dólar. Com isso, apenas 1,6 mil unidades foram emplacadas no ano passado, pior resultado do modelo em muitos anos.

4º Toyota Etios Sedã -60,1%

A má posição do Etios, seja ele hatch ou sedã, não chega a surpreender. São grandes os rumores que apontam que o compacto está no fim da vida no Brasil, abrindo espaço para a produção do Corolla Cross em Sorocaba. Por isso, 2020 pode ter sido o início de uma despedida melancólica para o modelo, que perdeu 54% das vendas no hatch e 60% no sedã.

5º Hyundai ix35 -55,4%

O SUV parente do Tucson é montado pela CAOA em Anápolis mesmo tendo sido descontinuado em muitos mercados no mundo. Não se sabe se foi afetado pela alta da moeda americana ou outras dificuldades logísticas, mas o ix35 registrou seu pior ano de vendas, com apenas 2.583 emplacamentos em 2020, menos da metade de 2019. E pensar que em 2014 ele chegou a vender 15,3 mil unidades.

Obs: dados de emplacamentos preliminares. Números podem ter uma variação pequena.