Assim como na gama Honda encontramos os primos Fit, HR-V e City compartilhando a mesma plataforma e vários elementos em seus respectivos projetos, podemos dizer que a linha Volkswagen, com a recente estreia comercial do T-Cross, está com a sua “linha de frente” completamente formada. Esse trio, a exemplo da concorrente japonesa, é que tem as características certas para atender as demandas mais recentes de um público cada vez mais exigente, que espera encontrar um bom nível de segurança, eficiência e tecnologia mesmo em modelos compactos.

A Volkswagen até conta com mais opções de hatches e sedans em sua linha, como é o caso de up!, Fox, Gol e Voyage, mas é inegável que os produtos mais modernos baseados na plataforma MQB estão em uma sintonia mais interessante com os desejos dos consumidores. Prova disso é que o Polo já figura como o segundo carro mais vendido da Volkswagen no Brasil, ficando só atrás do Gol. O Virtus, mesmo sem oferecer uma configuração 1.0 aspirada, já figura na segunda posição dos sedans compactos mais vendidos do Brasil, provas de que a marca alemã acertou na receita desses modelos.

Mas por falar no Virtus, o sedan, em especial em suas versões topo de linha, é que mais se aproxima do T-Cross em termos de preço, o que abre espaço para a dúvida: qual modelo vale mais a pena, o Virtus ou o T-Cross, pensando no custo-benefício?

A menos que você tenha um estilo de carroceria favorito – não abrindo mão da robustez de um SUV ou do visual mais clássico e elegante de um sedan – a pergunta formulada no parágrafo anterior pode surgir para os mais indecisos, em especial após conhecer os dois modelos na concessionária.

Entre os carros de apelo familiar, um sedan compacto sempre terá um caráter mais racional e, mesmo com um valor um tanto quanto elevado para a categoria, o Volkswagen Virtus comprova esse atributo quando o comparamos com um SUV compacto como é o caso do T-Cross. Pela demanda mais elevada, os SUVs hoje em dia são modelos que naturalmente permitem margens e ganhos financeiros maiores para as fabricantes.

Para mantermos uma equivalência mais exata na comparação, vamos olhar a versão Comfortline dos dois modelos, uma vez que o T-Cross não conta com opções 1.6 16V como é o caso do sedan. O Virtus Comfortline é tabelado em R$ 77.330 e traz o mesmo motor 1.0 TSI e o câmbio automático de 6 marchas presente no T-Cross Comfortline de R$ 99.990. Estamos falando de uma relevante diferença de R$ 22.660.

Em termos de equipamentos, o T-Cross Comfortline traz alguns recursos a mais em relação ao Virtus Comfortline, com destaque para o ar-condicionado automático digital, a câmera de ré, os 6 airbags, sensores de estacionamento dianteiro e traseiro e as rodas de liga leve aro 17”. Tanto no sedan como no SUV compacto você encontrará os importantes controles de tração e estabilidade e a central multimídia com espelhamento para smartphones como itens de série, sendo que o Virtus Comfortline também conta com rodas de liga leve, porém com aro 15”, além de sensor de estacionamento no para-choque traseiro e 4 airbags.

Se você deseja mais equipamentos, ainda é possível partir para um Virtus Highline, que é tabelado em R$ 82.870, portanto reduzindo a diferença para o T-Cross Comfortline para R$ 17.120, valor ainda considerável. O Virtus Highline já sai de fábrica com o ar-condicionado digital, chave presencial, luz diurna em LED e rodas de liga leve aro 16”, portanto um pacote mais próximo ao T-Cross Comfortline mantendo a motorização 1.0 TSI. Completo, com revestimento interno de couro, rodas de liga leve aro 17”, painel digital trabalhando em conjunto com uma central multimídia mais avançada, além de câmera de ré, detector de fadiga, sensor de estacionamento dianteiro, acendimento automático dos faróis e sensor de chuva, o preço do Virtus Highline atinge R$ 90.140 considerando também a escolha de uma pintura metálica. Portanto, em termos de custo-benefício, é inegável que o Virtus sempre será uma pedida mais interessante em relação ao SUV.

É claro que o T-Cross traz o apelo da carroceria “da moda”, além de uma maior versatilidade no uso do espaço interno, uma vez que é possível acomodar objetos maiores na cabine já que o T-Cross não tem a limitação que o terceiro volume do Virtus impõe. Mesmo assim, o sedan tem um excelente porta-malas para 521 litros de bagagem, enquanto o compartimento do T-Cross, sem mexer no encosto do banco traseiro, o que compromete o conforto dos passageiros, pode acomodar 373 litros. Para quem se atém aos números – ou precisa de um porta-malas maior – a diferença volumétrica pode ser algo preponderante para o Virtus.

Na cabine, por sua vez, a sábia decisão da Volkswagen de ampliar o entre-eixos do T-Cross brasileiro em relação ao T-Cross europeu nos presentou com um modelo muito espaçoso internamente, atributo também compartilhado com o Virtus. A bordo dos dois modelos você não tem do que reclamar do espaço para pernas, tronco e cabeça de todos os ocupantes. Talvez se T-Cross e Virtus fossem um pouco mais largos, seria possível acomodar três adultos de forma mais folgada no banco traseiro, porém não há do que reclamar a bordo da dupla. Para o uso familiar, os dois modelos estão mais do que suficientes.

O que também une T-Cross e Virtus é a excelência da plataforma MQB. Moderna e contemplando o uso de materiais avançados, a arquitetura que suporta os projetos do sedan e do SUV compacto confere a eles ótimo comportamento dinâmico, baixo nível de ruído e vibrações e alto nível de segurança, como ficou comprovado por testes recentes do Latin NCAP.

Em resumo, como foi possível conferir, se a escolha entre um SUV compacto e um sedan de mesmo porte for pelo aspecto racional, o modelo três volumes na grande maioria dos casos vai entregar um conjunto mais interessante. Mais desejados pelo público hoje em dia, os SUVs compactos, como é caso do T-Cross, exigem um gasto maior apenas pelo tipo de carroceria uma vez que seus conjuntos mecânicos e técnicos se aproximam muitos dos hatches e sedans com os quais compartilham seus projetos. Como muitas coisas na vida, no fim cabe a você desejar qual lhe atende melhor em suas necessidades ou combina mais com seu estilo.

 
 
Volkswagen Virtus 2018
 
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen Virtus 2018
 
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen Virtus 2018
 
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen Virtus 2018
 
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen Virtus 2018
 
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen Virtus 2018
 
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen Virtus 2018
 
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen Virtus 2018
 
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen Virtus 2018
 
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen Virtus 2018
 
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen Virtus 2018
 
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen Virtus 2018
 
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen Virtus 2018
 
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen Virtus 2018
Volkswagen T-Cross 2020
 
Volkswagen T-Cross 2020
Volkswagen T-Cross 2020
Volkswagen T-Cross 2020
 
Volkswagen T-Cross 2020
Volkswagen T-Cross 2020
Volkswagen T-Cross 2020
 
Volkswagen T-Cross 2020
Volkswagen T-Cross 2020
Volkswagen T-Cross 2020
 
Volkswagen T-Cross 2020
Volkswagen T-Cross 2020
 
 
César Tizo

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo |