Volkswagen está desenvolvendo carro elétrico do porte do Polo

Chamado internamente de "Small BEV", veículo será menor que o ID.3 e servirá como reação ao endurecimento à legislação ambiental mais rígida na Europa
Volkswagen ID.3 2021

Volkswagen ID.3 2021 | Imagem: Divulgação

A Volkswagen trabalha no projeto de um novo carro 100% elétrico para atender uma futura demanda por modelos baratos na Europa, causada pela legislação ambiental mais rígida. A informação foi revelada pela agência Reuters, que teve acesso aos planos da montadora alemã.

O futuro modelo propulsionado apenas por baterias terá o porte do Polo, ou seja, os padrões de um modelo compacto no Brasil, e deve custar entre 20 mil e 25 mil euros - cerca de R$ 128 mil e R$ 160 mil numa conversão simples. Isso fará dele um automóvel menor que o pioneiro ID.3, que foi lançado na Europa em setembro.

Com 4,26 m de comprimento, 1,8 mi de largura e entreeixos de 2,77 m, o ID.3 se assemelha a um Golf, mas é bem mais caro. Enquanto a 8ª geração do hatch médio tem preços a partir de 19.880 euros, o elétrico não sai por menos de 34 mil euros.

Segundo a Reuters, o novo projeto é chamado internamente de "Small BEV" (Battery Electic Vehicle, ou pequeno veículo elétrico à bateria). Trata-se de uma reação ao endurecimento das restrições ao veículos com motores a combustão. O Reino Unido, por exemplo, deve proibir a venda desses modelos a partir de 2030.

A montadora inclusive, revisou sua projeção de vendas de veículos elétricos na União Europeia de 40% para 60% dentro de uma década. A meta dos alemães é produzir 1,5 milhão de carros elétricos em 2025, conta que pode incluir o inédito modelo.

Volkswagen ID.3 2021
Volkswagen ID.3 2021
Imagem: Divulgação

Nova família de elétricos

Para atingir a meta, a Volks criou uma inédita plataforma para veículos elétricos, a MEB, que deu origem não apenas ao ID.3 mas também ao SUV ID.4, após mostrar vários conceitos nos últimos anos. A lista de membros dessa família deverá aumentar no futuro, com a adição de crossovers e modelos familiares, especula a mídia europeia.

No Brasil, que não possui uma legislação favorável aos elétricos e uma infraestrutura ainda modesta para recarga, a chegada dos modelos ID ainda é incerta.