Volkswagen lança o inédito Gol Track e reedita o Gol Rallye

Versões têm apelo aventureiro e público distinto. O primeiro é voltado para a classe C e o segundo, para os clientes mais abastados

Volkswagen Gol Rallye 2014 | Imagem: Divulgação

Acossada pela concorrência, a Volkswagen investe em novas versões do Gol, seu veículo mais vendido. Para isso, a montadora lança agora os modelos Gol Rallye e o Gol Track, ambos com vestimenta aventureira. A grande diferença está no preço: enquanto o Rallye é mais equipado, usa motor 1.6 e custa R$ 45.850, o Track tem motor 1.0, rodas de aço e preço de R$ 33.060.

Em comum, as duas versões possuem suspensão elevada em 2,3 cm que, no Rallye, ganha 0,5 cm extras por conta das rodas de aro 16 – o Track mantém as rodas aro 14 do Gol comum, mas possui pneus de uso misto, inexistentes no Rallye. Também carregam nos badulaques estéticos que fazem menção ao ambiente off-road: protetores plásticos em volta da carroceria, apliques adesivos nas portas com o nome da versão e interior com bancos personalizados.

A versão Rallye, no entanto, é a mais completa. Possui faróis de neblina de tamanho um tanto exagerado trazidos do CrossFox, grade em colmeia, retrovisores com pintura prateada, difusor na traseira e máscaras nos faróis e lanternas – o aerofólio também ganhou uma extensão na cor preta para reforçar o caráter esportivo. O cliente também pode optar pela transmissão automatizada I-Motion, mas o preço sobe para R$ 48.580.

Veja também: Novo Gol fica mais bonito e melhor de guiar

Já o Gol Track é uma opção econômica para quem não pode bancar os quase R$ 46 mil do Rallye. Apesar de as fotos mostrarem o modelo com rodas de liga, a versão vem de série com rodas de aço. Em vez do para-choque bojudo da Rallye, o Track tem uma peça um pouco mais encorpada e faróis de neblina regulares. Maçanetas e retrovisores não possuem pintura nessa versão.

Por dentro, a Volkswagen enumera vários itens, mas quase nada de série ou diferente do Gol normal. O bom rádio com inúmeras funções que incluem até visor do sensor de estacionamento, é opcional assim como o sistema Eco Comfort, que dá dicas para o motorista economizar combustível – exemplo, se você liga o ar-condicionado e deixa a janela aberta, o painel mostra um aviso.

Mais estranho ainda é o recurso “Comfort Blinker”, nome pomposo para uma ideia a que os donos do Polo estão acostumados desde 2002, ou seja, um leve toque na alavanca de seta faz com que a luz pisque por três ou quatro vezes. São itens legais, mas que poderiam vir de série afinal difícil acreditar que acresceriam tanto custo ao carro, uma pena.

Quarta edição

A chegada do Gol Rallye e do Track deve compensar um pouco o volume de vendas perdido para seus novos rivais, sobretudo o HB20, hoje o 4º modelo mais vendido do País. O apelo off-road tem funcionado bem com o público e a introdução do Track mostra que a Volks quer dar opção a mais bolsos. Já o Rallye chega à 4ª edição com um visual bem mais agradável. Se no primeiro, de 2004, quase não se notava diferença entre ele o Gol básico, a 2ª versão de 2007 era muito “rural”. O Rallye de 2010, já sobre a geração 5, melhorou bastante, mas agora o visual chegou a um ponto mais equilibrado.

Direção leve

AUTOO avaliou o Gol Rallye por um longo trecho de terra e a suspensão mais alta evitou que o modelo raspasse em valetas e outras imperfeições do caminho. No entanto, a leveza da direção com a falta de tração em alguns pontos causou um certo desconforto. O melhor é não negar a característica principal do Rallye - e também do Track -, a de servir como veículo urbano mesmo, mas com aspirações aventureiras, afinal de contas, dirigir no trânsito e nas péssimas ruas das grandes cidades brasileiras já não deixa de ser uma grande e perigosa aventura.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!