"Voltswagen": brincadeira poderá render processo à VW

Marca tentou se adiantar ao 1º de abril, mas gerou valorização de suas ações nos EUA e empresa será investigada
Acima o VW ID.3, atual elétrico de entrada da marca alemã

Acima o VW ID.3, atual elétrico de entrada da marca alemã | Imagem: Divulgação

No início da semana, uma postagem nas redes sociais oficiais da Volkswagen mostrava um vídeo onde o nome da marca se transformava em Voltswagen. O trocadilho apareceu até nos sites de comunicação da empresa nos EUA e era acompanhada por uma justificativa crível: mudar a imagem da empresa no mercado norte-americano ao passo em que foca nos veículos elétricos e lança o ID.4 por lá.

No entanto, não passava de uma adiantada pegadinha de 1º de abril que não deu muito certo. Porém, o que começou como uma brincadeira poderá ter efeitos severos sobre a empresa. Isso ocorre porque, até 30/3, todos os canais de comunicação da Volkswagen davam como verdadeira a informação da troca do nome. Assim, foi noticiado que a “Voltswagen” era verídica.

E como a alteração teve ampla cobertura da imprensa, sempre afirmando que se tratava de uma movimentação real, houve uma movimentação da bolsa de valores que elevou o preço das ações da VW em 5%, tendo picos de até 10% durante o pregão. Porém, ao se revelar que a troca de nome era apenas uma brincadeira, a situação pode ficar mais séria nos EUA. 

A imprensa norte-americana vem reportando que já há uma pressão sobre a SEC, órgão que supervisiona o mercado de ações nos EUA, para que alguma atitude seja tomada a respeito, uma vez que houve uma valorização artificial dos papéis da VW. Até o momento, a SEC ainda não se manifestou. Porém, no passado, a entidade já determinou multas milionárias à Tesla, quando a empresa de Elon Musk afirmou ter financiamento para tornar a marca pública, o que não se confirmou. Assim, a pegadinha da Voltswagen ainda pode sair caro para a Volkswagen.

Acima o ID.4 lançado neste mês nos EUA: por enquanto nenhuma identificação da
VW ID.4 lançado neste mês nos EUA
Imagem: Divulgação