VW prevê China quadruplicando vendas em março

Marca já se prepara para a recuperação do mercado asiático. Algumas de suas fábricas por lá já retomaram atividades
Fábrica da SAIC Volkswagen em Anting, na China

Fábrica da SAIC Volkswagen em Anting, na China | Imagem: Divulgação

A China foi o primeiro país a sofrer as consequências da expansão do novo coronavírus, lidando com a doença desde dezembro de 2019. No entanto, também está sendo o primeiro a mostrar sinais de recuperação. Além de boa parte das concessionárias daquele país estarem reabrindo as portas, apesar de um movimento ainda reduzido, a indústria automotiva daquele país já estaria se preparando para a recuperação.

Em entrevista ao site Automotive News Europe, o chefe da operação chinesa do Grupo Volkswagen, Stephan Woellenstein, afirmou que “estamos cautelosamente otimistas e acreditamos que a pior fase dessa crise (do Coronavírus) ficará para trás em cerca de dois ou três meses”.

Aguardando uma recuperação forte das vendas na China, a Volkswagen naquele país já retomou as atividades de 22 das 24 fábricas que mantém naquele país, já em preparação para a retomada do ritmo naquele mercado. "Há cada vez mais sinais de que o mercado está se recuperando. Até o meio do ano poderemos retomar o planejamento do ano passado. A esperança está voltando ao mercado chinês", disse Woellenstein.

Segundo o executivo da VW, o mercado chinês de veículos novos deve bater cerca de 1 milhão de veículos comercializados já em março, quatro vezes mais que o registrado em fevereiro: 250.000 mil unidades. No entanto, para o acumulado de vendas para 2020, o Grupo Volkswagen estaria trabalhando com uma projeção de que mercado se retraia entre 3% e 15% na comparação com 2019, mas 2021 já deve ser um ano normal de vendas novamente.

Fábrica da SAIC Volkswagen em Anting, na China
Fábrica da SAIC Volkswagen em Anting, na China
Imagem: Divulgação

Assine a newsletter semanal do AUTOO!