Quanto do exagero pode ser atribuído à recente crise financeira e do petróleo não dá para saber, mas que o Vision EfficientDynamics (assim mesmo, tudo junto) é uma “visão” do futuro para a BMW, isso não há dúvida. A marca alemã criou um esportivo conceito que reúne desempenho, baixo consumo, ecologia e um design de deixar o queixo caído.

O Vision, para começar, é um híbrido como tantos outros, mas une os motores elétricos (dois, de potências desiguais) a um turbodiesel de apenas três cilindros e 1.5 litro. Somados, eles produzem 356 cv de potência e cerca de 80 kgfm de torque. Não é para menos que o BMW possa acelerar de 0 a 100 km/h em 4,8 segundos – a velocidade máxima, como sempre, é limitada eletronicamente em 250 km/h.

Se faz bonito na pista, o Vision faz melhor ainda no posto. Segundo a montadora bávara, o modelo é capaz de rodar 26,6 km com apenas um litro de diesel sem falar que emite somente 99 gramas de CO2 por km rodado.

A receita da BMW é utilizar um motor de baixa cilindrada, mas com grande potência específica a dois outros motores que auxiliam em situações em que não há necessidade de queimar diesel. O motor turbodiesel possui 163 cv de potência ou 109 cv por litro enquanto o motor elétrico mais forte rende 80 cv em situação normal ou 112 cv por um período de 30 segundos, ou ainda 139 cv por 10 segundos – ambos estão posicionados na parte traseira. O motor menor, por sua vez, rende de 33 cv a 51 cv e está instalado no eixo dianteiro.

Recarga em 44 minutos

Como todo carro com motor elétrico, o Vision também depende de tomadas na garagem para recarregar sua baterias de lítio. No caso da BMW, há dois modos de carga depedendo da voltagem da fonte de energia. Se 220 V, o tempo para encher as baterias é de duas horas e meia, já se a energia tiver voltagem de 380 V, são apenas 44 minutos de recarga completa.

Como bom esportivo que é o Vision tem aerodinâmica refinada com um coeficiente de arrasto de apenas 0,22. as linhas são extremamente ousadas, sobretudo a carroceria, que parece destacada do chassi. As lanternas, por exemplo, parecem flutuar entre as colunas. O teto e as portas são translúcidas – essas são do tipo asa-de-gaivota, com abertura para cima. As belas rodas simulam hélices, uma referência ao passado da BMW, que fabricava aeronaves antes da Segunda Guerra.

Estrela do Salão de Frankfurt, o Vision servirá para mostrar futuras tendências da BMW e, pelo jeito, ele será usado como nunca com tantas tecnologias a bordo.

Ricardo Meier

Publisher do AUTOO, é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier | http://www.jcceditorial.com.br/