A Citroën divulgou nesta quarta-feira (15) um interessante comunicado onde reúne as ações que está realizando para otimizar o conjunto de suspensão de seus carros e, com isso, oferecer cada vez mais conforto aos ocupantes.

Segundo a fabricante, a estratégia concentra-se basicamente em três pontos: o trabalho da suspensão, a repercussão das vibrações na carroceria e a chegada das vibrações até os passageiros por meio dos assentos.

Para ajudar a resolver essas questões, a Citroën desenvolveu os seguintes sistemas:

Suspensões com batentes hidráulicos progressivos

Enquanto uma suspensão convencional é composta por um amortecedor, uma mola e um batente mecânico, o sistema Citroën acrescenta dois batentes hidráulicos (um de expansão e um de compressão) de cada lado. A suspensão trabalha, assim, em dois tempos de acordo com as solicitações:

Nas compressões e expansões leves, a mola e o amortecedor controlam conjuntamente os movimentos verticais sem ter que acionar os batentes hidráulicos. Mas a presença desses batentes permitiu que os engenheiros proporcionassem uma maior liberdade de movimento ao veículo, o que resulta num efeito de "tapete voador", dando a sensação de que o carro está trafegando acima das deformações da estrada.

Já nas compressões e expansões importantes, a mola e o amortecedor trabalham juntos com o batente hidráulico de compressão ou de expansão, os quais retardam o movimento de forma gradativa, evitando assim as paradas súbitas de final do curso. Diferentemente de um batente mecânico clássico, que absorve a energia e restitui uma parte, o batente hidráulico absorve e dissipa esta energia. Não há assim nenhum fenômeno de ricocheteio.

 
 
Conjunto de suspensão da Citroën com batentes hidráulicos
 
Conjunto de suspensão da Citroën com batentes hidráulicos
Conjunto de suspensão da Citroën com batentes hidráulicos
Conjunto de suspensão da Citroën com batentes hidráulicos
 
Conjunto de suspensão da Citroën com batentes hidráulicos
Conjunto de suspensão da Citroën com batentes hidráulicos
Bancos também tem seu papel para aumentar o conforto de rodagem
 
Bancos também tem seu papel para aumentar o conforto de rodagem
Bancos também tem seu papel para aumentar o conforto de rodagem
Citroën investe em soluções para aumentar o conforto aos passageiros
 
Citroën investe em soluções para aumentar o conforto aos passageiros
Citroën investe em soluções para aumentar o conforto aos passageiros
 
 

Colagem estrutural "por filetes descontínuos” da carroceria

Desde que a suspensão faça seu trabalho de amortecimento, as solicitações causadas por um pavimento deformado são transmitidas para a carroceria. O recurso à técnica da colagem estrutural permitirá reduzir significativamente este fenômeno por meio de um aporte em rigidez global. O processo industrial de colagem, próprio da Citroën, permite montar a carroceria sem as portas, motor ou qualquer acessório através de cordões de cola descontínuos. A cada interrupção de um cordão de cola, um ponto de solda elétrica completa a montagem. Esta técnica de colagem permite garantir uma montagem por meio de solda/colagem livre de fumaças tóxicas geradas por soldas sobre a cola.

A carroceria sem as portas, motor ou qualquer acessório montada por meio de colagem estrutural apresenta inúmeras vantagens.

A primeira reside no aumento significativo da rigidez da carroceria em cerca de 20%, o que ajuda a isolar os fenômenos de vibrações externas. No entanto, uma carroceria mais rígida filtrará melhor as vibrações transmitidas pelas condições de rodagem - e isso melhorará o conforto. A segunda vantagem desta técnica de colagem é melhorar o desempenho da carroceria sem as portas, motor ou qualquer acessório, sem acrescentar nenhuma massa. Esta síntese permite uma aplicação da colagem estrutural "por filetes descontínuos" no conjunto dos modelos Citroën.

Assentos inspirados em colchões

Os assentos são o elemento de um carro com o qual o corpo dos passageiros fica mais em contato. São eles que dão as primeiras sensações de bem-estar, quando olhamos para eles e sentamos a bordo. Além de seu papel de suporte, eles trazem evidentemente sua contribuição à filtragem das várias vibrações do veículo e das deformações da estrada.

O desenvolvimento de um assento integra seu desenho, para que ele respeite a curvatura das costas e ofereça uma posição de direção otimizada, e a escolha dos materiais que o compõem. Espumas, de diversas densidades e durezas, são assim utilizadas dependendo da função da área considerada: suporte ou amortecimento.

Para melhorar o conforto dos assentos, a Citroën se interessou por outras áreas de aplicação, especialmente aquela da colchoaria, uma área na qual a "memória de forma" se tornou o máximo em conforto. Graças à utilização de várias camadas de matérias específicas (espuma de poliuretano, viscoelástica ou texturada), a Citroën desenvolveu assentos que se adaptam perfeitamente à morfologia dos passageiros e proporcionam um conforto macio inédito no automóvel.

Com base nas suas propriedades, os assentos reencontram sua forma original entre dois ocupantes. Revestidos com um revestimento acolchoado inédito, estes novos assentos oferecem aos passageiros uma boa sensação de maciez.

Redação

Redação |