Os carros blindados estão cada vez mais resistentes e caros. Apelidado pela imprensa estrangeira de “Panzer de luxo”, em alusão ao famoso tanque alemão usado na Segunda Guerra Mundial, o Audi A8L Security é uma das opções de transporte para quem precisa de muita segurança e tem dinheiro sobrando. Dependendo da configuração, o preço no modelo blindado de fábrica pode passar a barreira dos US$ 700.000, cerca de R$ 1.165.000, sem contar impostos.

O alto preço começa pelo fato do A8 ser o modelo mais luxuoso da Audi. Não só isso, o veículo tem ainda o “sobrenome” L, de limusine: mede 5,27 metros de comprimento. O motor também é o mais avançado oferecido a série, o 6.3 W12 de 500 cv (50 cv a mais que o usado no A8 convencional) e 63,7 kgfm de torque a 4.750 rpm. Mas vamos ao que mais interessa nesse carro: a blindagem.

Segundo a Audi, na configuração de entrada o A8L Security carrega 720 kg de componentes de blindagem (o A8L sem blindagem pesa 1.835 kg). São 300 kg somente de vidros temperados, que, de acordo com a marca, resistem a disparos de armas de grosso calibre, mesmo a queima roupa. Assoalho, portas e pneus também contam com proteções de fibra de carbono e malhas de kevlar capacitadas para resistir até mesmo a explosões de granadas de mão.

Se o poder de fogo hostil não for páreo para as proteções do A8L Security então é melhor ligar a sirene e acelerar, o que também não é problema para ele. O motor W12 o faz acelerar do 0 a 100 km/h em 7,3 segundos e sua velocidade máxima é limitada em 210 km/h, algo notável para um carro de 2.555 kg. Reforços ainda podem ser chamados por um sistema de rádio de alta frequência, que vem de série no carro, assim como as luzes de alerta.

E o A8 limusine blindado é duro na queda. No caso de ataque químico, o sistema de ar-condicionado impede a entrada de agentes tóxicos na cabine por meio de avançados filtros de ar. Se isso também for o suficiente, o modelo ainda conta com máscaras de oxigênio auxiliares. E aí, vai encarar?

Thiago Vinholes

|