Curioso notar como a Audi afirma e reafirma que as versões e-tron, associadas às famílias A8 e A1, não serão apenas protótipos, mas sim automóveis viáveis a partir de 2012. Por outro lado, diz que o A8 híbrido mostrado em Genebra é realmente só um conceito. Fato é que o sedã grande tem muito mais chances de chegar ao mercado. E antes dos e-tron.

O A8 híbrido deixa de lado seus potentes motores V6 e V8 e adota o 2 litros turbo usado no A4, de 211 cv e injeção direta de combustível. Associado a ele está um propulsor elétrico de 45 cv e 21,5 kgfm de torque que, sozinho, pode percorrer até 2 km a uma velocidade máxima de 65 km/h. A média do motor a combustão, segundo a Audi, é de 16,1 km/l, com emissão de 144 g de CO2 por quilômetro rodado. A fabricante de Ingolstadt garante que o A8 híbrido tem “desempenho de V6 com consumo de quatro cilindros”. Isso se traduz em aceleração de 0 a 100 km/h em 7,6 segundos e velocidade máxima de 235 km/h. Quando trabalham juntos, os dois motores somam 245 cv e 49 kgfm de torque.

Um dos seus destaques é o mostrador (uma espécie de conta-giros) que informa se o carro está sendo usado no modo de potência, híbrido ou se naquele momento está sendo recarregado – graças à energia dissipada em acelerações e frenagens.

Rodrigo Mora

|