O futuro da mobilidade ainda não depende totalmente dos carros elétricos. Há quem diga ainda que essa talvez não seja a solução definitiva para reduzir a poluição, uma vez que as baterias desse tipo de veículo são difíceis de reciclar e exigem cuidados especiais na hora do descarte. A Audi, por outro lado, propõe com o projeto e-gas seguir com motores a explosão, mas com cuidados especiais com as emissões e, sobretudo na fabricação do combustível.

Além de engenharia bruta, o projeto também envolve processos químicos para criar toda uma cadeia de transporte sustentável. O plano prevê a criação de postos de abastecimento autossuficientes com de geradores eólicos (que usa a energia dos ventos). Não só isso, as instalações também fabricarão o combustível para os veículos - no caso o gás metano -, a partir da mistura de hidrogênio (também isolado na “usina” da Audi) com dióxido de carbono, que será recolhido dos automóveis a cada visita ao “posto”.

Em comunicado, a fabricante afirma que o plano sairá do papel a partir de 2013 e a princípio somente na Alemanha. O projeto também envolve o desenvolvimento de um novo motor movido a gás natural (os pontos de e-gas terão o combustível no formato sintético) com sistema de injeção direta e turbo, o famoso propulsor TFSI na Audi.

Thiago Vinholes

|