O ano de 2017 começou com o pé direito para a Chevrolet e seu hatch compacto Onix, o atual líder em vendas no país. Só o resultado isolado de janeiro já nos traça um bom panorama da situação de conforto que a Chevrolet conseguiu dentro do segmento. Somando o Onix e o Onix Joy, a versão com “cara” antiga do modelo, o hatch somou 13.900 unidades emplacadas. Um pouco mais e o Chevrolet Onix quase consegue vender duas vezes mais que o segundo colocado, no caso o Hyundai HB20, que foi a escolha de 7.362 pessoas no primeiro mês de 2017.

Mas o que o Chevrolet Onix tem para conseguir uma aceitação tão boa no mercado? Para tentar descobrir alguns desses pontos o AUTOO resolveu avaliar o modelo em sua versão de entrada, a LT 1.0, que tem preço sugerido de R$ 45.690. Quer colocar a central multimídia MyLink com integração para o Apple CarPlay e o Android Auto? Então é necessário gastar mais R$ 1.460 e elevar o preço final do Onix LT 1.0 para R$ 47.150.

É caro?

Bom, aí é necessário fazermos uma análise dos concorrentes diretos, começando pelo Hyundai HB20. Quem procura o compacto da Hyundai encontra na versão Comfort 1.0 a opção mais acessível. Nas lojas por R$ 42.500, ele é consideráveis R$ 3.190 mais barato que o Onix LT básico e ainda tem a vantagem de contar com computador de bordo de série, item ausente no Onix. Com a central multimídia blueMedia, que oferece as mesmas opções do Chevrolet MyLink, o preço do HB20 salta para R$ 48.530 na configuração Comfort Plus blueMedia. É mais caro do que o Onix LT completo, porém o HB20 ainda coloca junto com a central mutimídia os retrovisores elétricos e o volante também permite o ajuste em profundidade, enquanto no Onix você só regula a altura. No saldo final, o HB20 oferece uma relação custo-benefício mais vantajosa.

Se partirmos para o Ford Ka, que aparece em terceiro no ranking de vendas e é um dos hatches compactos mais modernos do segmento, o preço mais em conta que você precisa pagar para levá-lo para casa é de R$ 43.760. Por esse valor o Ka já sai “completinho” de fábrica, incluindo o rádio com Bluetooth, mas, de qualquer maneira, não oferecendo nada mais que você também não encontra no HB20 Comfort de R$ 42.500. Talvez o grande destaque do Ford Ka fique mesmo para a versão SEL, que se destaca por contar com os controles de estabilidade e tração, porém aí você precisa pagar R$ 50.590 considerando o motor 1.0. Uma das grandes falhas do Ford Ka é ainda não oferecer uma central multimídia com tela sensível ao toque mesmo na configuração SEL. O recurso mostra-se cada vez mais valorizado pelos consumidores do segmento.

Pelo menos na análise do custo-benefício, o Chevrolet Onix LT 1.0 está apenas na média dos rivais mais modernos, sendo que, nesse assunto, o Hyundai HB20 é superior a ele e ao Ka.

E por dentro?

A situação do Chevrolet Onix começa a melhorar na parte interna. A sensação de espaço que se tem a bordo do hatch da Chevrolet é melhor do que no Hyundai HB20 e semelhante ao do Ford Ka. Curioso que a Chevrolet soube trabalhar bem com a posição dos assentos no Onix, posicionando os bancos de uma forma ligeiramente mais elevada, melhorando o campo de visão dos passageiros em uma posição que agrada o público brasileiro. É uma solução, por exemplo, encontrada em muitos carros da Fiat, como a linha Palio e Strada, em especial na Strada Adventure.

O porta-malas de 280 litros do Chevrolet Onix não é tão espaçoso como o do Hyundai HB20, que pode acomodar 300 litros de bagagem, mas também a diferença não é tão grande assim. Dizer que acomoda bem a bagagem de uma família com 4 adultos é um pouco de exagero, porém Onix e HB20 atendem bem as necessidades de quem compra um carro dessa categoria. O Ford Ka, por sua vez, oferece porta-malas de 257 litros, portanto bem menor que o da dupla mais vendida do Brasil.

De olho na mecânica

A partir da linha 2017 o Chevrolet Onix recebeu uma boa mexida na parte mecânica, com destaque, por exemplo, para a inclusão do câmbio manual de 6 marchas. Além disso, a fabricante preparou um amplo pacote, chamado Eco, que traz aprimoramentos em especial no motor, além da suspensão, freio, aerodinâmica e o uso de novos materiais para a redução de peso.

A partir da linha 2017, o motor 1.0 do Onix, um dos raros propulsores com esse deslocamento que ainda utiliza 4 cilindros, passa a contar com pistões, bielas e anéis redesenhados e mais leves. Até mesmo o óleo utilizado pelo motor passa a ser o nobre 0W20, que ajuda a reduzir o atrito interno. O módulo eletrônico do propulsor 1.0 também foi revisto e está 40% mais rápido. Ainda completam o pacote de novidades o novo sistema de arrefecimento e um gerenciamento mais eficiente das cargas elétricas, incluindo aí a utilização otimizada do alternador, que é desacoplado do conjunto em momentos que o carro precisa de aceleração máxima.

Com outros 100 componentes da carroceria revistos e o uso de mais aço de alta resistência, o Onix ficou em média 32 kg mais leve.

Pensando no ponto de vista do consumo de combustível, algo relevante para quem considera a compra de um carro 1.0, o Onix LT 1.0 alcança parciais de 12,9 km/l na cidade e 15,3 km/l na estrada, ambas com gasolina. O tricilíndrico Hyundai HB20, por sua vez, fica em, respectivamente, 12,5 e 14,1 km/l. O Ford Ka, contudo, merece o grande destaque ao obter médias de 13,5 km/l em uso urbano e 15,7 em trajetos rodoviários, superando com folga os dois concorrentes. Tanto o Ka quanto o HB20 contam com motores 1.0 com 3 cilindros e o câmbio em ambos é um manual de 5 marchas.

Se ainda não se equipara em termos de eficiência com o propulsor do Ka, ao menos o 1.0 do Onix é beneficiado por seus 4 cilindros no que diz respeito à suavidade de funcionamento. Ele praticamente não emite nenhuma vibração acima do normal, algo que é característico nos 3 cilindros. Se você anda sozinho a maior parte do tempo e precisa de um carro apenas para seus deslocamentos na cidade, o Onix dá conta do recado. Mesmo com o ar-condicionado ligado, o hatch não é apático nas respostas de maneira geral. Claro que, em uma subida mais íngreme ou se você quer acelerações mais rápidas, é bom ficar com a mão na alavanca de câmbio e manejar bem a troca de marchas.

A chegada da direção elétrica para o Onix, item que também figura no Ford Ka, foi muito bom para o modelo. Além de ajudar na redução do consumo, esse tipo de assistência proporciona um peso menor para o volante nas manobras, o que é muito bom considerando a proposta urbana de modelos como o Onix. No acerto de suspensão, o Onix mantém a velha e conhecida disposição McPherson na dianteira e eixo de torça nas rodas traseiras, que, se não oferece muito refinamento na dirigibilidade, ao menos é robusta e lida bem com nossa vias esburacadas. Nesse ponto o Onix, assim como modelos como o HB20 e o Ka, são corretos, apresentando uma direção sem sustos.

 
 
Chevrolet Onix LT 1.0 2017
 
Chevrolet Onix LT 1.0 2017
Chevrolet Onix LT 1.0 2017
Chevrolet Onix LT 1.0 2017
 
Chevrolet Onix LT 1.0 2017
Chevrolet Onix LT 1.0 2017
Chevrolet Onix LT 1.0 2017
 
Chevrolet Onix LT 1.0 2017
Chevrolet Onix LT 1.0 2017
Chevrolet Onix LT 1.0 2017
 
Chevrolet Onix LT 1.0 2017
Chevrolet Onix LT 1.0 2017
Chevrolet Onix LT 1.0 2017
 
Chevrolet Onix LT 1.0 2017
Chevrolet Onix LT 1.0 2017
 
 

Mas, então, por que o Chevrolet Onix vende tanto?

Chegamos à conclusão de que o Chevrolet Onix não é o modelo que oferece o melhor custo-benefício, nem o mais econômico e está na média dos rivais quando o assunto é desempenho e comportamento dinâmico.

Pesa a favor do Onix o bom espaço interno, mas para chegarmos a uma conclusão de seu sucesso comercial é necessário olharmos para mais detalhes que envolvem o processo de chegada de um carro até a casa dos consumidores.

Vamos tomar com exemplo o número de concessionárias, algo relevante em um país de grandes proporções territoriais como o Brasil. A rede Chevrolet, que atualmente é de 600 concessionárias é quase três vezes maior do que a estrutura de vendas da Hyundai, por exemplo, o que aumenta consideravelmente a participação do Onix em mais mercados.

Além disso, a marca Chevrolet ainda conta com uma boa reputação no mercado, sobretudo com relação à robustez de seus produtos desde modelos mais antigos como a primeira geração do Chevrolet Corsa, modelo que raramente dava problemas.

Graças a essa ampla participação da Chevrolet ao longo de todos os rincões do Brasil e o fato do Onix ser um produto oriundo de uma nova geração de hatches compactos, mais sintonizados com os novos desejos dos consumidores, explicam em grande parte o sucesso do modelo no país. Ele pode não brilhar em nenhum aspecto específico, mas ao trazer um conjunto bem equilibrado e ao chegar onde a maioria dos clientes está, o Onix leva uma grande vantagem sobre os concorrentes. 

Além disso, o Onix ainda tem ao seu lado o design correto, que tornou-se ainda melhor com o facelift da linha 2017. É inegável que isso funciona como um imã para muita gente e explica porque modelos muito bons tecnicamente, como o Toyota Etios, não decolam em vendas.

De qualquer forma, ainda sim o Hyundai HB20, mesmo já dando os sinais de que a geração atual está chegando ao fim de ciclo, ele desponta como uma opção de compra mais interessante. Ou, quem sabe até caso você não precise de muito espaço, seria interessante levar em consideração um Volkswagen up! TSI, que parte de R$ 50.123 e traz, de longe, um dos melhores motores produzidos no Brasil atualmente. 

Ficha técnica

Chevrolet Onix 2017 LT 1.0 8V flex manual 4p
Preço R$ NaN (07/2017)
Categoria Hatch compacto
Vendas em 2017 98.478 unidades
Motor 4 cilindros, 999 cm³
Potência 78 cv a 6400 rpm (gasolina)
Torque 9,5 kgfm a 5200 rpm
Dimensões Comprimento 3,933 m, largura 1,705 m, altura 1,475 m, entreeixos 2,528 m
Peso em ordem de marcha 1034 kg
Tanque de combustível 54 litros
Porta-malas 280 litros
Veja ficha completa

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo |