Fio é coisa do passado. Em um futuro não muito distante esse arcaico modo de transmissão de dados e eletricidade será substituído por uma série de novas tecnologias. O ramo dos carregadores de baterias, em especial, trilha um caminho interessante. A BMW e a sistemista Siemens se juntaram para criar um recarregador por indução eletromagnética, item que está sendo estudado para posteriormente ser aplicado na nova geração de carros elétricos da marca alemã.

Esse recurso já é usada na recarga de telefones celulares e pequenos dispositivos de áudio, que têm bateria embutida. Em todos os casos, o equipamento é uma base plana. O segredo está em seu interior, que esconde uma bobina que ao ser acionada cria um campo eletromagnético, agitando as moléculas das pilhas e tornando a carga novamente positiva. Para os carros, o aparelho segue a mesma premissa, porém será bem maior.

O calcanhar de Aquiles dos carregadores por indução, no entanto, é o inevitável desperdício de energia, que acaba dissipada. Os aparelhos que repõem a energia de celulares, por exemplo, desperdiçam em média 30% da eletricidade aplicada no equipamento. A Siemens, porém, avisa que o aproveitamento de seu sistema para recarga de baterias para automóveis alternativos será superior aos 90%. A BMW avisou que mostrará a tecnologia em maio.

Thiago Vinholes

|