Há pouco mais de um ano no mercado brasileiro, a nova geração do sedã Cruze já está na linha 2018. E com algumas novidades, entre elas repetidores de setas nos retrovisores e ajuste de altura dos faróis a partir da versão de entrada LT.

Mas é o motor a principal mudança do modelo da Chevrolet. Não, ele continua com os mesmos 153 cv de potência, mas agora é produzido também na Argentina, o que, segundo a GM, deve reduzir seus custos de manutenção.

Os preços do Cruze 2018 subiram: agora a versão LT custa R$ 92.990, aumento de R$ 1.100 em relação ao Cruze 2017. Já a versão LTZ, mais equipada, passa a ter preço de R$ 104.990, ou R$ 2 mil a mais do que antes – o pacote High Tech segue custando R$ 10 mil e trazendo assistente de permanência na faixa, alertas de colisão frontal e ponto cego, banco do motorista com ajuste elétrico, entre outros.

Vendas subindo

Apesar de ter um dos pacotes mais modernos e eficientes do mercado e custar menos que seus rivais diretos, o Cruze passou seu primeiro ano apenas na 3ª colocação no ranking. O Corolla mantém a liderança com ampla margem e o Civic, também renovado, estava um pouco à frente do Chevrolet até junho. No mês passado, o Cruze foi o segundo sedã mais vendido, quando também obteve o maior emplacamento mensal da nova geração, com 1.894 unidades.

 
 
Chevrolet Cruze 2018
 
Chevrolet Cruze 2018
Chevrolet Cruze 2018
Chevrolet Cruze 2018
 
Chevrolet Cruze 2018
Chevrolet Cruze 2018
Chevrolet Cruze 2018
 
Chevrolet Cruze 2018
Chevrolet Cruze 2018
Chevrolet Cruze 2018
 
Chevrolet Cruze 2018
Chevrolet Cruze 2018
Chevrolet Cruze 2018
 
Chevrolet Cruze 2018
Chevrolet Cruze 2018
Chevrolet Cruze 2018
 
Chevrolet Cruze 2018
Chevrolet Cruze 2018
Chevrolet Cruze 2018
 
Chevrolet Cruze 2018
Chevrolet Cruze 2018
Chevrolet Cruze 2018
 
Chevrolet Cruze 2018
Chevrolet Cruze 2018
Chevrolet Cruze 2018
 
Chevrolet Cruze 2018
Chevrolet Cruze 2018
 
 
Ricardo Meier

Publisher do AUTOO, é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier | http://www.jcceditorial.com.br/