Um sentimento de nacionalismo acometeu General Motors e Chrysler. Parece que as duas montadoras norte-americanas estão com inveja dos infindáveis recalls da Toyota e trataram de revidar: juntas, chamam quase 2.100.000 clientes, donos de 22 modelos das marcas Buick, Cadillac, Chevrolet, GMC, Hummer e Saturn, pertencentes à GM; e Dodge e Jeep, da Chrysler.

Um dos problemas, inclusive, é semelhante ao verificado em milhares de Toyotas. A Chrysler detectou que 25.336 unidades de Dodge Caliber e Jeep Compass, fabricadas em 2007, podem ter o acelerador preso no assoalho. Outros 288.968 Jeep Wrangler, produzidos entre 2007 e 2010, podem ter a eficácia dos freios reduzida ou anulada, já que há a possibilidade de vazamento do fluído do conjunto. Mas o defeito mais bizarro talvez seja o das 284.831 minivans Chrysler Town & Country e Dodge Grand Caravan. Um problema no sistema elétrico pode gerar um curto circuito no trinco da porta, causando, na pior das hipóteses, um incêndio. A Chrysler se comprometeu em notificar os 599.135 clientes e realizar os reparos gratuitamente. Ainda não há informações se o recall atinge os modelos comercializados no Brasil.

Já na General Motors, o problema é o aquecedor do fluído lavador do para-brisas dos modelos  Buick Lucerne, Buick Enclave, Cadillac DTS, Cadillac CTS, Cadillac Escalade (ESV e EXT), Chevrolet Traverse, Chevrolet Avalanche, Chevrolet Silverado, Chevrolet Suburban, Chevrolet Tahoe, GMC Acadia, GMC Sierra, GMC Yukon, GMC Yukon XL, Saturn Outlook e Hummer H2, produzidos entre 2006 e 2009. A GM avisa que 1,4 milhão rodam nos EUA, Canadá e México, e apenas 100.000 em alguns outros países. No Brasil, nenhum dos modelos é comercializado de maneira oficial.

Tanto o recall da GM quanto o da Chrysler têm o crivo da National Highway Traffic Safety Administration, a autoridade de segurança do tráfego dos EUA.

Rodrigo Mora

|