A Fiat comemorou esta semana a marca de 10 milhões de veículos produzidos no Brasil. Uma história que começou, curiosamente, um junho de 1976, portanto, há exatos 33 anos, quando o hatch 147 saiu da linha de montagem pela primeira vez da fábrica de Betim, em Minas Gerais.

No ano seguinte, a unidade produziu 63 756 veículos, todos do mesmo 147 – mais tarde viriam seus derivados sedã, perua e picape. Esse número só se multiplicou com o passar dos anos. Em 2008, por exemplo, a Fiat produziu nada menos que 713 208 exemplares, seu recorde no país. Porém, agora são dezenas de modelos e versões que vão do Mille ao Línea. O 10 000 000º veículo, no entanto, foi um Palio 2010, não por acaso o modelo mais produzido na Fiat.

A unidade de Betim, aliás, é única no mundo. A capacidade de produção é de mais de 800 000 unidades por ano em suas quatro linhas de montagem. Ou seja, praticamente um terço dos veículos vendidos no Brasil sai da fábrica nas proximidades de Belo Horizonte.

Ao contrário das concorrentes, a Fiat se beneficia de uma produção enxuta e bem localizada, além de ter todos os seus fornecedores com unidades próximas, enviando peças em um sistema de demanda e, assim, evitando grandes estoques. Não é de se estranhar a agilidade da empresa em lançar e alterar seus produtos conforme os anseios do consumidor.

Ricardo Meier

Publisher do AUTOO é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier |