Depois de chacoalhar o segmento de sedãs com o novo Cruze, a Chevrolet agora já prepara a chegada da versão hatchback. O modelo será destaque da marca no Salão de São Paulo, em novembro, mas já dá o ar da graça na Argentina, onde também será fabricado.

Exemplares flagrados pelo site Argentina Autoblog (veja mais fotos aqui) revelam que o Cruze hatch (ainda não é possível saber se a GM manterá o sobrenome marqueteiro ‘Sport6’) é praticamente idêntico à versão vendida no exterior e que, inclusive, acaba de ter seu preço inicial revelado nos Estados Unidos (US$ 22.190 ou quase R$ 76 mil).

Mas haverá mudanças: a suspensão, por exemplo, terá um acerto mais firme para evidenciar mais esportividade. Por falar nela, há expectativa de termos o pacote RS, com visual mais esportivo que inclui um kit aerodinâmico. Na parte mecânica, seguem o novo motor 1.4 Ecotec de 155 cv e as transmissões manual e automática, ambas com seis marchas.

Segmento em queda

Assim como a primeira geração, o Cruze hatch mantém a mesma distância entreeixos do sedã, ou seja, 2,7 metros que se refletem num espaço mais generoso que alguns rivais – de quebra, deixa o visual mais equilibrado. Engana-se quem pensa que o porta-malas será pequeno: são 643 litros de capacidade, maior que muitos sedãs.

 
 
Chevrolet Cruze Hatch 2017
 
Chevrolet Cruze Hatch 2017
Chevrolet Cruze Hatch 2017
Novo Cruze: visual é o mesmo da versão européia e americana
 
Novo Cruze: visual é o mesmo da versão européia e americana
Novo Cruze: visual é o mesmo da versão européia e americana
Cruze Hatch 2017: nova geração será excepcional, mas terá público interessado?
 
Cruze Hatch 2017: nova geração será excepcional, mas terá público interessado?
Cruze Hatch 2017: nova geração será excepcional, mas terá público interessado?
Chevrolet Cruze hatch 2017
 
Chevrolet Cruze hatch 2017
Chevrolet Cruze hatch 2017
Chevrolet Cruze hatch 2017
 
Chevrolet Cruze hatch 2017
Chevrolet Cruze hatch 2017
Chevrolet Cruze hatch 2017
 
Chevrolet Cruze hatch 2017
Chevrolet Cruze hatch 2017
 
 

Apesar do pacote empolgante, o novo Cruze hatch 2017 tem pela frente um desafio enorme. O segmento de hatches médios tem se desfeito nos útimos anos, afetado pela concorrência dos sedãs “cupês” e pelos SUVs compactos.

Para se ter uma ideia, em 2010, quando teve seu ápice, vendiam-se 13,3 mil hatches médios por mês no Brasil. No ano passado, essa média caiu para 4 mil carros/mês e em 2016 tivemos apenas 2,5 mil hatches médios emplacados mensalmente.

Como se vê, o novo Cruze hatch não tem que temer o Golf VII ou o Focus e sim o HR-V e seu irmão sedã.

Ricardo Meier

Publisher do AUTOO é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier |