Não foi desta vez ainda. A nova geração do Fiesta continua em testes no Brasil enquanto a fábrica de Camaçari se prepara para iniciar sua produção em 2011. Enquanto isso, a Ford lançará na semana que vem (dia 22) em Buenos Aires o Fiesta com visual reestilizado seguindo um conceito parecido com a do seu teórico sucessor.
As mudanças, no entanto, são cosméticas. Sai a primeira atualização do modelo, de 2006, para entrar uma frente com novos faróis, grade e para-choque. O desenho, como se vê na imagem acima, é muito atraente, mas destoa do restante da carroceria, projetada em 2001.

Na traseira, apenas lanternas translúcidas e um aplique no para-choque. As rodas e calotas têm desenho modificado e o interior, apenas novas padronagens de cores e tecidos. Como no EcoSport 2011, a Ford também equipou o Fiesta com algumas perfumarias, como ponteiros que giram ao dar a partida e aviso de manutenção.

Nas versões mais equipadas, o compacto receberá um painel digital com computador de bordo a abaixo do mostrado do conta-giros que, como o velocímetro, exibe nova grafia.

Novo papel de entrada

A ausência de grandes surpresas no Fiesta tem uma razão. A Ford deve transformá-lo num veículo de “semi-entrada”, ou seja, exceto pelo Ka, que tem outro destino em vista, o Fiesta atual fará o papel de carro mais barato, para enfrentar Gol, Palio e Celta.

Tudo para que o verdadeiro novo Fiesta, cuja plataforma é maior e conteúdo mais completo, faça o papel de compacto premium e enfrente modelos como o Fox, Punto, Agile, 207 e C3, entre outros.

Ricardo Meier

Publisher do AUTOO, é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier | http://www.jcceditorial.com.br/