Um tanto discreto do ponto de vista comercial desde que foi lançado, em outubro de 2008, o Ford Edge agora ganha atributos que o farão evoluir nas vendas. Prova disso é que, desde que o novo modelo foi mostrado no Salão do Automóvel, em outubro passado, já foram comercializadas 210 unidades do crossover importado do Canadá.

A versão de entrada, SEL, traz por R$ 122.100 ar-condicionado bizona, CD player com MP3, entrada auxiliar e seis alto-falantes; bancos de couro com ajuste elétrico em dez posições para o motorista e em seis para o passageiro, rebatimento automático dos bancos traseiros (EasyFold System), chave MyKey, seis airbags, tração integral AWD, rodas de liga leve de 18 polegadas e sensor de ré.

Já a Limited, que custa R$ 133.910, soma aos itens da SEL o MyFord Touch, composto por duas telas configuráveis de 4,2 polegadas no painel; sistema multimídia SYNC, que inclui sistema de som da Sony com 12 alto-falantes, conexão Bluetooth, duas entradas USB, leitor de cartão de memória, entrada de vídeo RCA, tela de 8 polegadas sensível ao toque, comando por voz das funções de áudio, ar-condicionado e telefone e personalização da luz ambiente com sete opções de cores; partida por botão ou por controle remoto, sistema de acesso inteligente, câmera de ré, sistema de monitoramento de pontos cegos (Blis), sensor de chuva, memórias para ajuste do banco do motorista e espelhos retrovisores, abertura e fechamento automático do porta-malas, bancos em couro cinza Light Stone e rodas aro 20. O teto solar panorâmico Vista Roof é opcional, elevando o preço do novo Edge para R$ 142.610.

As duas versões são equipadas com o motor 3.5 litros V6 Ti-VCT, de 269 cavalos de potência e acoplado a uma transmissão automática de seis velocidades com trocas na alavanca do câmbio. Segundo a Ford, o consumo é de 8,6 km/l na cidade e 12,7 km/l na estrada, com média de 10,1km/l.

AUTOO acompanha o lançamento do novo Ford Edge e traz em seguida mais informações e as primeiras impressões do modelo.

Rodrigo Mora

|