O mercado brasileiro de SUVs vem tendo um comportamento atípico em meio a crise financeira que afeta o Brasil nos últimos dois anos. Esse setor registrou alta de 8,7% (com 365 mil unidades emplacadas) em 2014, enquanto o resto do mercado, dos chamados “veículos comerciais leves”, caiu 2%. Nova opção preferida para famílas, esse tipo de carro têm geralmente bom espaço interno e porta-malas avantajado, sem falar na possibilidade de dirigir em uma posição mais alta e recursos de condução mais avançados.

Com a categoria “fervilhando”, é natural que novos modelos apareçam, como aconteceu recentemente com o trio Jeep Renegade, Honda HR-V e Peugeot 2008. A JAC, que vinha ensaiando sua entrada no setor desde 2014, enfim lançou o T6. Como todo carro da Jac (e também de outras marcas chinesas) o modelo oferece um pacote superior aos dos concorrentes a um preço inferior. O modelo tem preços que vão de R$ 69.990 até R$ 75.670.

“O brasileiro não compra carro por segmento, mas sim por faixa de preço. O que ele pode comprar com R$ 70 mil?”, explanou Sergio Habib, presidente da Jac Motors no Brasil, durante o lançamento do novo produto na sede da marca, em São Paulo. “Nessa faixa as opções são carros como Spin, Doblò, Ranger, Saveiro Cross...”, exemplificou Habib.

Na comparação de fichas técnicas, o T6 leva algumas vantagens em relação aos seus concorrentes. A JAC, aliás, os separa como “rivais de preço”, no caso EcoSport, Duster e Tucson e “rivais de produto”, que a marca relaciona o Mitsubishi ASX, Kia Sportage e Hyundai ix35.

Temos, portanto, um SUV de porte médio, de 4,47 metros de comprimento (praticamente o mesmo porte do ix35 e Sportage), com preço de EcoSport. Mas será que vale a pena?

100 km de JAC T6

A JAC promoveu o teste-drive de lançamento em um percurso de São Paulo até Itú, a cerca de 100 km da capital. Saindo da cidade, pegando o habitual trânsito nas vias que ligam às rodovias, o T6 mostrou seus primeiros “agrados”. É um carro muito fácil de conduzir, com pedal de embreagem leve e direção com assistência elétrica, “molinha”.

Apesar do tamanho e peso (1.505 kg), o T6 é relativamente ágil nas ruas, com boa aceleração e retomada. Mas o câmbio manual de 5 marchas, como quase todo carro da JAC, ainda tem encaixes duros e barulhentos. Logo ao entrar na estrada, já com trânsito livre, foi possível elevar a velocidade. Nesse momento, porém, novas desaprovações. O motor em alto giro faz todo o carro vibrar, principalmente no assoalho, e o ruído emitido para a cabine é alto.

Além da vibração, o T6 também balança. A suspensão, apesar de independente nas quatro rodas, tem respostas tão macias que tende a dar rebotes após passar por uma imperfeição na pista. O SUV da JAC também tem uma resposta inesperada quando passa por lombadas, dando um tranco forte. E isso se repete mesmo passando mais devagar.

O motor, por outro lado, tem bom rendimento, mesmo com o carro pesando uma tonelada e meia. Segundo a montadora, o bloco 2.0 16V VVT gera até 160 cv e 20,5 kgfm de torque com etanol e 155 cv e 19,9 kgfm com gasolina. É o suficiente para levar o modelo do 0 aos 100 km/h em 12,2 segundos e atingir a velocidade máxima de 186 km/h. O consumo de combustível, contudo, não foi divulgado.

A JAC também repetiu erros de ergonomia no T6. Apesar do ajuste de altura dos bancos e volante, é difícil encontrar uma posição realmente adequada. O ajuste de profundidade do volante ajudaria nesse ponto. A alavanca do câmbio nesse carro ainda é muito próxima do encosto de braço central, fazendo com o que o motorista bata o cotovelo a cada troca.

Também é preciso melhorar o design do painel, que tem números pequenos e uma iluminação azul que parece embaçar os mostradores digitais. Na parte de segurança, por outro lado, o T6 faz um bom papel com freios a disco nas quatro rodas, além dos obrigatórios airbags e ABS.

 
 
O JAC T6 chega com preços entre R$ 69.990 até R$ 75.670 O JAC T6 chega com preços entre R$ 69.990 até R$ 75.670
O modelo tem o mesmo porte do ix35, mas custa bem menos O modelo tem o mesmo porte do ix35, mas custa bem menos
Ao todo, o T6 mede 4,47 metros de comprimento Ao todo, o T6 mede 4,47 metros de comprimento
O design, como outros carros da JAC, é assinado pelo estúdio italiano Pininfarina O design, como outros carros da JAC, é assinado pelo estúdio italiano Pininfarina
Essa frente parece copiada do Hyundai ix35... Essa frente parece copiada do Hyundai ix35...
O modelo chama atenção na rua O modelo chama atenção na rua
Os escapes traseiros com molduras cromadas são Os escapes traseiros com molduras cromadas são
O modelo é até agora o melhor carro chinês no mercado brasileiro O modelo é até agora o melhor carro chinês no mercado brasileiro
Já o design da traseira lembra o desenho de SUVs das Audi... Já o design da traseira lembra o desenho de SUVs das Audi...
Os faróis têm regulagem de altura, algo raro Os faróis têm regulagem de altura, algo raro
As lanternas parecem de LEDs, mas têm lâmpadas convencinais As lanternas parecem de LEDs, mas têm lâmpadas convencinais
O T6 vem com rodas aro 17 O T6 vem com rodas aro 17
A central multimídia possui o recurso A central multimídia possui o recurso
O painel de instrumentos poderia ter números maiores O painel de instrumentos poderia ter números maiores
O porta-malas comporta 610 litros O porta-malas comporta 610 litros
O motor 2.0 16V VVT rende até 160 cv com etanol O motor 2.0 16V VVT rende até 160 cv com etanol
O espaço traseiro surpreende O espaço traseiro surpreende
O modelo é confortável, mas a ergonomia ainda é pobre O modelo é confortável, mas a ergonomia ainda é pobre
O câmbio manual tem 5 marchas; a marca prepara uma versão automática para 2016 O câmbio manual tem 5 marchas; a marca prepara uma versão automática para 2016
O volante, bem fino diga-se, tem comandos de som O volante, bem fino diga-se, tem comandos de som
Os interiores de carros da JAC estão melhorando a cada lançamento Os interiores de carros da JAC estão melhorando a cada lançamento
 
 

Pacotão chinês

A JAC afirma que 90% do mix de vendas do T6 será concentrado na versão top de linha, a “Pack 2”, que tem como principal atrativo a central multimídia com câmera de ré, CD, Bluetooth, rádio e o recurso “mirror link”, que espelha a tela do celular no monitor do carro. O aparato funciona melhor com smartphones com sistema Android, transferindo toda funcionalidade do telefone e suas funções para o automóvel. Com iPhone (que usa sistema iOS) é possível reproduzir apenas a tela, sem a possibilidade de efetuar comandos diretos.

O mirror link permite, por exemplo, reproduzir o mapa com trânsito ao vivo do aplicativo Waze, sem falar no acesso a aplicativos de redes sociais e rádios digitais. A ativação do sistema requer um cabo HDI com adaptadores especificos para cada celular.

Outros itens do T6 são faróis de neblina, retrovisores elétricos com repetidores de seta, sensor de estacionamento traseiro, ar-condicionado, sistema Isofix para cadeirinhas, entre outros. Um carro desse tamanho, porém, merecia um teto solar.

Em uma análise de tamanho, equipamentos, desempenho e preço, o T6 é realmente tentador, especialmente para quem busca um veículo para levar toda a família. Mas a JAC, apesar de oferecer bons pacotes, ainda peca nos detalhes. O carro é potente, mas vibra e balança. O interior é enorme, mas a ergonomia é pobre. O design é atraente, mas lembra o de outros carros (ix35, por exemplo).

Mas as melhorias vem a cada lançamento. O T6 foi o 16° carro da JAC lançado no Brasil (entre novos modelos e facelifits) e ele marca os quatro anos da marca no mercado nacional. Segundo previsões otimistas da fabricante, o modelo deve alcançar 3.500 emplacamentos em 2015 em um mercado que deve registrar resultados negativos por todos os lados.

T6 automático

Segundo Sergio Habib, o T6 vai ter uma versão com câmbio automático CVT. A previsão de lançamento é para 2016. Esse carro, diferente da versão manual, será equipado com motor 2.0 Turbo.

Thiago Vinholes |