A Mercedes-Benz anunciou oficialmente que está desenvolvendo uma picape global de médio porte, cujo alvo será os mercados da América Latina, África do Sul, Austrália e Europa, com estreia prevista para até 2020. A montadora alemã quer ser a primeira marca premium a explorar o segmento.

A empresa ainda não revelou detalhes e investimento ou fixou uma data para lançamento da novidade, mas confirmou que já está preparando terreno para produzir o veículo em grande escala e em várias regiões do mundo nos próximos cinco anos. Estima-se, inclusive, que ela seja produzida na planta da montadora em São Bernando do Campo (SP), que produz veículos comerciais.

A picape cabine dupla será equipada com motores de seis e quatro cilindros e terá capacidade de carga de uma tonelada. A marca revelou que haverá uma versão com interior refinado, bancos revestidos em couro e repleta de equipamentos, além de uma outra mais robusta com interior lavável.

A robustez, versatilidade e capacidade de carga desses veículos aliado ao interior que entrega muito luxo aos ocupantes, tem feito executivos deixarem o sedã de lado. Sem contar na imponência ao chegar com uma picape luxuosa em qualquer lugar. A Volkswagen já provou desta receita com a Amarok, que está longe de ser apenas um veeiculo comercial.

Contudo, a inspiração para a aposta no segmento, veio do movimento promissor visto no mercado de SUVs nos últimos anos. Antes, os utilitários esportivos não faziam parte do line up de montadoras de luxo e recentemente, fabricantes como Jaguar e Rolls-Royce já trabalham em exemplares para participar deste lucrativo nicho.

"Anos atrás, os SUVs costumavam ser brutos e com o tempo eles se tornaram mais bonitos. Agora, observamos a mesma tendência com as caminhonetes e vimos uma oportunidade para entrar neste mercado como a primeira marca premium", disse Volker Mornhinweg, chefe da divisão de veículos comerciais da Mercedes-Benz.

Nos EUA não

Mornhinweg negou a especulação de que montadora tinha planos de lançar uma picape maior nos Estados Unidos para brigar com a Ford F-150, a Chevrolet Silverado e a Chrysler Ram. "O segmento destas picapes nos EUA é específico demais e já está dominado pelas três grandes. Não faz sentido ir para lá."

O mercado de picapes de médio porte nos EUA poderia ser um nicho, já que o veículo será vendidos também em outros mercados globais. Todavia, a Mercedes-Benz ainda não decidiu se levará sua picape ao mercado norte-americano, onde figuram as concorrentes Toyota Tacoma, Chevrolet Colorado, GMC Canyon e a Nissan Frontier.
 

Karina Simões

Karina Simões |