A Opel revelou nesta quarta-feira, dia 13, a nova geração do Astra, modelo que é seu principal produto na Europa. Mas, quando chegar ao mercado, em outubro, muita coisa poderá ter mudado. A marca alemã, hoje pertencente à General Motors, sofre com a crise mundial e deverá ser vendida para outro grupo europeu para tentar sobreviver.

Quanto ao carro, suas formas já não eram tão novas após o vazamento de fotos há algumas semanas. O que não significa que o modelo perdeu o impacto. É um belo projeto, sem dúvida, mais refinado e moderno.

O novo Astra cresceu e agora mede 4,42 m de comprimento e ganhou 71 mm na distância entre eixos, para melhorar o espaço no banco traseiro. A frente lembra o Insignia, sucessor do Vectra europeu, e a traseira, tem toques semelhantes ao Corsa (da última geração, diga-se). Nota-se que a aerodinâmica foi privilegiada e um sinal disso é o para-brisas tão inclinado que foi preciso criar uma janela-espia à frente dos retrovisores.

Muitos, certamente, perguntarão por que a GM não trará esse Astra para o Brasil. Porque, além de maior, ele incorpora equipamentos que aqui só são disponíveis em modelos de luxo. Veja o caso dos faróis bi-xenon, com ajuste automático, do chassi eletromecânico, que se ajusta às condições do piso e do estilo do motorista, e do sistema de câmera frontal Opel Eye, que detecta sinais de trânsito e avisa aos ocupantes que o veículo está saindo da faixa de rodagem.

A gama de motores é extensa: são quatro motores a gasolina, de 1.4 litro a 1.6 litro, com potência de 100 cv a 180 cv. Há até um novo 1.4 turbo que tirou de linha o 1.8 hoje vendido no Astra. Além desses, existem também outros quatro motores a diesel, de 1.3 litro a 2.0 litros e potência na faixa de 95 cv e 160 cv.

Pena que a Opel não tenha liberado imagens do interior do Astra, o único mistério que permanece não resolvido. Esperamos que até o dia 17 de setembro, data da estreia do Astra no Salão de Frankfurt, a marca alemã resolva mostrar o carro por dentro.

Ricardo Meier

Publisher do AUTOO é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier |