O sonho pode estar acabando. O Partido Verde alemão chegou ao poder em Baden-Wuerttemberg e uma das promessas durante a campanha era impor a máxima de 120 km/h para as estradas, até então sem limite de velocidade em 65% delas. O grupo político não reclama de segurança, mas sim do elevado índice de poluentes emitidos durante altas velocidades.

"O trânsito em Baden-Wuerttemberg, contribui com cerca de 30% nas emissões de CO2. É claro que o setor de transporte tem que fazer uma contribuição própria para a redução deste gás que é nocivo para o ambiente", argumenta Winfried Kretschmann, que está prestes a se tornar a primeira chefe de estado da região.

Ironicamente, a Baden-Wuerttemberg é a região onde se localiza Stuttgart, casa de Porsche e Mercedes-Benz. A primeira não quis comentar o fato, enquanto a segunda contesta, afirmando que “o fato de os nossos carros serem construídos para altas velocidades é um argumento importante em outros países para vendê-los”, diz o CEO da empresa, Dieter Zetsche.

Depois de deixar de cabelo em pé muitos defensores das Autobahns, Winfried tranquilizou: “a indústria automobilística definitivamente não têm razão para temer-nos".

Rodrigo Mora

|