A edição 2016 do Rally Dakar, que teve início no dia 2 e término no último sábado (16), teve a Peugeot como vencedora pela quinta vez. O novo 2008 DKR, desenvolvido especialmente para a competição, com uma equipe composta por Stéphane Peterhansel e Jean-Paul Cottret, se posicionaram em primeiro lugar, encerrando o jejum de 26 anos sem vitórias da montadora francesa.

A equipe a bordo do Peugeot 2008 DKR conquistou 9 vitórias num total de 12 etapas, que contou com um trajeto de 9.500 quilômetros entre a Argentina e Bolívia e picos de altitude de 4.800 metros.

Destaque para o projeto bem diferenciado do 2008 DKR, que, ao contrário do que estamos acostumados a ver em carros de rali, contava com tração 4x2. O motor também é um poderoso 3.2 V6 biturbo diesel de 340 cv e 60 kgfm de torque. Com câmbio manual de 6 marchas, o modelo é capaz de atingir 200 km/h de velocidade máxima. 

Os franceses Peterhansel e Cottret subiram ao pódio com 45h22min10s, seguidos por Nasser Al-Attiyah e Matthieu Baumel (MINI ALL4 Racing) em segundo, com +34min58s, Giniel de Villiers e Dirk Von Zitzewitz (Toyota Hilux) em terceiro, com +1h02min47s, Mikko Hirvonene Michael Perin (MINI ALL4 Racing) em quarto, com +01h05min18s, e Leeroy Poulter e Robert Howie (Toyota Hilux V8) em quinto, com +01h30min43s.

Já na categoria de motos, o vencedor foi o piloto da KTM, Toby Price. Trata-se do primeiro australiano a vencer o Rally Dakar e a 15ª vitória consecutiva da montadora, com 45h09min15s. Stefan Svitko, também a bordo de uma KTM, se posicionou em segundo lugar, com +48min56s.

Na disputa entre quadriciclos, os irmãos Patronelli conquistaram o tricampeonato a bordo de um Yamaha. Marcos se posicionou em primeiro, com 58h47min41s, enquanto Alejandro ficou com a segunda posição, com 58h53min04s.

Por fim, entre os caminhões, Gerard De Rooy levou a melhor, conquistando seu segundo título no Rally Dakar, ao lado de Darek Rodewald e Moises Torrallardona, com um modelo da Iveco

Leonardo Andrade

Leonardo Andrade |