O Programa Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-MG), órgão integrante do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), requisitou que a Ford do Brasil responda a 80 questões sobre problemas relacionados ao câmbio Powershift dos veículos Ecosport, New Fiesta e Focus. As questões se referem a dados técnicos, à prestação de serviços, ao programa de extensão de garantia e à assistência técnica. O prazo para que a empresa envie as respostas ao Procon-MG termina no dia 29 de junho. 

Dentre as perguntas, encontram-se temas como os diferentes anéis de retenção usados em reparos dos veículos com problemas, se a marca utilizou três versões diferentes de atuador e até mesmo o motivo pelo qual a fabricante utilizou duas versões diferentes de embreagem nos consertos de alguns carros, dentre outras perguntas. 

As indagações foram levantadas com base na análise dos depoimentos feitos durante audiência pública realizada pelo Procon-MG, das reclamações registradas no órgão e também das informações contidas em ordens de serviços e notas fiscais enviadas por concessionárias Ford ao órgão de defesa do consumidor.

Investigação Preliminar

Essa medida faz parte da investigação preliminar, instaurada pelo Procon-MG, cujo objetivo é apurar se a montadora Ford está colocando no mercado veículos defeituosos, se há risco à saúde e segurança do consumidor e se a empresa, por meio de suas concessionárias, está conseguindo sanar os problemas ocorridos.

De acordo com consumidores, os veículos que possuem câmbio Powershift apresentam trepidação excessiva, patinação, demora na retomada da marcha, falta de resposta do carro e superaquecimento, o que tem ocasionado situações de risco em ultrapassagens ou em cruzamentos sem semáforos, por exemplo. 

Comunicado da assessoria de imprensa do Procon-MG

Redação

Redação |