A Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores) divulgou hoje os resultados obtidos pela indústria nacional em setembro. Os níveis de produção, licenciamento e exportações caíram, mas ainda estão em patamares esperados pela entidade. O número de empregos, no entanto, cresceu.

Considerando a produção de veículos (carros e comerciais leves, fabricados aqui e montados no regime CKD), a queda é de 9,2%, já que em setembro saíram das linhas de montagem 287.399 unidades, contra 316.424 em agosto. Quanto ao licenciamento, a queda é de 1,7%: dos 296.594 carros e comerciais leves emplacados em agosto, caímos para 291.434 em setembro.

Porém, levando em conta o acumulado do ano, de janeiro a setembro de 2009 foram produzidos 2.211.097 de unidades, enquanto em setembro já temos 2.545.847 carros e comerciais leves fabricados – uma alta de 15,1%. No licenciamento, nova alta no acumulado janeiro-setembro: 2.211.244 em 2009 ante 2.368.744 de 2010, o que significa uma evolução de 7,1%.

A Anfavea também mostrou o quanto a indústria nacional está exportando. No mês passado, foram 67.932 unidades, ou 3,2% menos que os 70.176 carros e comerciais leves mandados para fora em agosto. Um dos segmentos que mais sofre com a crise mundial de 2008, as exportações, no entanto, vem mostrado recuperação ao longo do ano. No acumulado, a alta em relação a o mesmo período de 2009 é de 76,8% – 542.251 contra 306.756, respectivamente.

Boas notícias também na geração de empregos. O nono mês de 2010 tinha 115.577 trabalhadores na indústria automotiva, que equivale a uma alta de 0,7% frente aos 114.809 postos de trabalho em agosto, e uma alta maior ainda, de 8,4%, em relação a setembro de 2009, que empregava 106.648 pessoas.

Entre as quatro grandes fabricantes instaladas no País, a Fiat continua líder. Em setembro, vendeu 66.808 carros e comerciais leves, seguida por Volkswagen (59.660), General Motors (58.965) e Ford (27.134). No acumulado, as posições se repetem: 548.033 carros foram da Fiat, 495.196 da Volkswagen, 471.394 da General Motors e 239.259 da Ford.

Rodrigo Mora

|