A Lincoln foi uma das poucas montadoras norte-americanas que não mostrou híbridos ou crossovers no Salão de Detroit. Ao invés disso, focou seus esforços em aprimorar um produto ícone da indústria automotiva, os SUV’s. A linha 2011 do seu MKX mudou de cara, o que significa novos para-choques, capô, faróis (agora com xenon), grade frontal, saídas do escapamento e lanternas (agora de leds).
 
O utilitário também conta com nova propulsão: o motor V6 passou de 3,5 para 3,7 litros, chegando a 305 cavalos de potência. São 37,8kgfm de torque, operados por um câmbio automático de seis marchas. Embora tenha ganhado potência, o MKX faz em média, 11,1km/l na estrada, segundo a empresa. O aumento de 40cv em relação ao antigo bloco obrigou a Lincoln a redimensionar os freios, que agora contam com pistões de aço e rotores traseiros maiores. Já a tração é integral.
 
Internamente, o MKX também evoluiu. Destaque para o My Lincoln, sistema que, por meio de uma tela touch screen, permite ao motorista controlar e configurar uma série de dispositivos de conforto, segurança e entretenimento. O SUV também tem como diferenciais um novo isolamento acústico, com vidros laminados nas portas frontais. O MKX chega ao mercado norte-americano em 2011, por US$39.500.
 
Torça para a Ford, dona da Lincoln, expandir as melhorias para o Edge comercializado aqui no Brasil (R$133.000). Além de dividirem a mesma plataforma, além de motor e câmbio, teriam em comum também  as mesmas evoluções.
Ricardo Meier

Publisher do AUTOO, é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier | http://www.jcceditorial.com.br/