Quer lançar uma nova marca de automóveis? Construir seu primeiro carro? Então invente um superesportivo. Parece absurdo, mas é mais barato hoje desenvolver um modelo desse tipo do que um carro barato. Veja o caso da indiana Tata, com o Nano. O investimento em tecnologia, produção e estrutura de venda e manutenção é imenso, sem falar no marketing pesado para disputar espaço com grandes nomes consagrados.

Já um superesportivo exige menos dinheiro. A produção é artesanal já que a demanda é restrita e muitos equipamentos podem ser adaptados de modelos existentes. Basta ter um belo projeto em mãos, bons e poucos engenheiros e, claro, um pouco de dinheiro.

É o que explica a existência do ST1, da desconhecida marca dinamarquesa Zenvo. Desde 2004, a empresa trabalha no modelo, com motor de nada menos que 1 104 cv, mais que o propulsor do Bugatti Veyron, o ícone dos superesportivos.

O desempenho, contudo, está um pouco aquém: são 375 km/h de velocidade máxima, limitada é verdade, e 0 a 100 km/h em 3,2 segundos – o Veyron faz isso em menos de 3 segundos.

Mas, apesar do atraso, o ST1, enfim, foi para a estrada e a previsão é que comece a ser entregue este ano. A Zenvo pretende produzir 15 unidades por ano a um preço estimado acima de 300 000 euros.

Ricardo Meier

Publisher do AUTOO é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier |