Uma batalha com dois lados bem fortes está para ser realizada em breve. O Congresso Nacional já está com o projeto de lei 1.013/11 pronto para ser votado e, se aprovado, ele vai liberar a oferta de carros de passeio a diesel no Brasil, algo comum em mercados como EUA e Europa. A escolha dos deputados e senadores, contudo, não deverá ser fácil uma vez o lobby de entidades a favor e contra está cada vez maior.

Fundada em 2013, a Aprove Diesel foi fundada por empresas que fornecem sistemas de injeção para motores com este tipo de combustível, dentre elas a Bosch, MWM International, Delphi, dentre outras. A aliança, como é chamada, ainda conta com o apoio da SAE Brasil, sociedade que reúne os engenheiros automotivos. A ideia das empresas é “divulgar as melhorias contínuas dos motores a diesel e a redução de seu impacto ambiental”.

Mas é claro que existem campanhas contra a permissão de que carros de passeio utilizem os propulsores, que se destacam pelo baixo consumo e elevada autonomia. Quem é contrário a lei 1.013/11 defende que a medida poderia gerar a necessidade de importação do combustível. Além disso, as partículas finas emitidas por motores a diesel representam 3% das mortes causadas por doenças cardiovasculares ao redor do mundo.

No Brasil, os carros de passeio a diesel estão proibidos desde 1976. A legislação vigente, contudo, permite algumas brechas. Se o veículo oferecer capacidade de carga, com motorista e passageiro, superior a uma tonelada, ele pode receber o propulsor em questão. O mesmo ocorre com aqueles que contem com tração 4x4 e reduzida.

E você, de que lado está? É a favor ou contra a liberação dos carros de passeio a diesel no Brasil?

César Tizo

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo |