Demorou, mas finalmente a PSA resolveu substituir sua já antiga caixa automática de 4 marchas pela mais eficiente e robusta transmissão com 6 velocidades fornecida pela japonesa Aisin, que chega ao Brasil importada da Europa. Quem terá a primazia de abrir as portas da transmissão para a gama de entrada será a Citroën, mas em breve ela também vai figurar nos modelos da Peugeot.

Agora mais competitivo, a principal estratégia da Citroën é aumentar as vendas da gama C3 em 10% com a chegada do câmbio automático de 6 marchas, que é o mesmo já aplicado nos modelos que trabalham com o motor 16 THP, como o C4 Lounge e as minivans C4 Picasso e Grand C4 Picasso. Até abril deste ano, como você pode conferir em nosso ranking de vendas, o C3 contabilizava 2.974 unidades vendidas, ocupando apenas 47ª posição entre os carros mais vendidos no Brasil com uma média de 743 unidades emplacas ao mês.

Fato é que mesmo em relação ao irmão Peugeot 208, o Citroën C3 carece de uma renovação mais profunda. Recursos como o para-brisa panorâmico (Zenith) ainda tem seu charme, mas a cabine do C3 já mostra-se um tanto quanto defasada em termos de design frente aos rivais. O próprio 208 com seu painel em dois níveis é muito mais encantador. Além disso, o espaço interno não é um dos pontos fortes do Citroën C3, algo que precisa ser revisto em especial com a chegada de modelos bem com projetos mais sintonizados com as novas demandas do público, ou seja, uma cabine espaçosa para 5 passageiros e porta-malas acima dos 300 litros no caso dos hatches. É essa a receita que veremos em modelos como o Fiat Argo e a nova geração do Volkswagen Polo.

Enquanto a Peugeot e a Citroën ainda estudam o que fazer com seus hatches, sem dúvida nenhuma o banho de eficiência que o conglomerado francês acaba de promover em seus modelos chega em boa hora.

Para tanto, a Citroën aproveitou a estreia do C3 2018 e mexeu também em seu motor 1.6 16V, que não deixa de ser eficiente ao contar com recursos como o comando de válvulas variável e o conjunto de anéis e pistões de baixo atrito. Em nome da redução no consumo, a potência máxima tornou-se ligeiramente menor, saindo de 122 cv a 5.800 rpm até a linha 2017 para 118 cv a 5.750 rpm, ambas com etanol. O torque máximo também foi reduzido e, com o mesmo combustível, agora para em 16,1 kgfm a 4.750 rpm. Segundo a Citroën, cerca de 80% dessa força está disponível a partir de 1.500 rpm.

A transmissão automática da Aisin, por sua vez, utiliza a 5ª e a 6ª velocidades como sobremarchas, como é possível notar em suas longas relações de 0,852:1 e 0,672:1, respectivamente. Com isso, o motor trabalha em rotações mais baixas, estabilizando em 2.500 rpm a 100 km/h em 6ª ou 3.000 rpm a 120 km/h na mesma marcha. Uma função interessante do câmbio é a função RDT (redução de tração), que diminui as vibrações quando o carro está parado e o câmbio em Drive, como ocorre enquanto você espera o sinal verde de um semáforo, por exemplo. A 1ª e a 2ª marchas foram encurtadas para melhorar as acelerações.

Graças a tudo isso, o consumo de combustível foi reduzido em 7% na comparação do C3 2018 automático 6 marchas com a linha 2017 do hatch até então com a caixa de 4 velocidades. Utilizando a função Eco da nova transmissão de 6 marchas, o consumo é reduzido em mais 5%. 

 
 
Citroën C3 2018
 
Citroën C3 2018
Citroën C3 2018
Citroën C3 2018
 
Citroën C3 2018
Citroën C3 2018
Citroën C3 2018
 
Citroën C3 2018
Citroën C3 2018
Citroën C3 2018
 
Citroën C3 2018
Citroën C3 2018
Citroën C3 2018
 
Citroën C3 2018
Citroën C3 2018
Citroën C3 2018
 
Citroën C3 2018
Citroën C3 2018
Citroën C3 2018
 
Citroën C3 2018
Citroën C3 2018
Citroën C3 2018
 
Citroën C3 2018
Citroën C3 2018
Citroën C3 2018
 
Citroën C3 2018
Citroën C3 2018
 
 

Segundo o Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular, o C3 com o câmbio automático de 4 marchas (até a linha 2017) entregava médias de 11 km/l na cidade e 12,6 km/l na estrada, ambas com gasolina. De acordo com a Citroën, o C3 2018 em sua versão Exclusive automática passa a registrar parciais de 10,9 e 13,2 km/l, respectivamente, utilizando o mesmo combustível. 

Ao volante, a leve perda de potência e torque sequer é sentida graças ao enorme bem que a transmissão mais moderna fez ao modelo. As respostas do C3 2018 ocorrem a contento. Se você quer um pouco mais de esportividade poderá recorrer às trocas sequenciais do câmbio, agora feitas somente na alavanca. As mesmas são executadas de forma rápida, uma melhora considerável em relação ao câmbio automático anterior.

As relações mais longas da 5ª e a 6ª também colaboram, de forma indireta, para melhorar o conforto a bordo, uma vez que o motor emite menos ruído ao operar em uma faixa de rotações mais baixa. Uma crítica vai para o acerto de suspensão, que permite uma inclinação lateral excessiva da carroceria em algumas curvas mais fechadas. Calibrada para entregar o máximo em termos de conforto, essa reação da suspensão não agradou.

Existe também um modo esportivo (Sport) para a transmissão, algo que você poderá usar eventualmente para melhorar o desempenho na estrada, mas o C3 não é um modelo que instiga a utilizar tal função. A direção elétrica conversa bem com a proposta geral do Citroën C3 e proporciona um controle bem leve do carro, algo bom para o uso urbano em especial na hora de manobrar. Ela é um pouco mais lenta do que seria o ideal, mas, considerando que a carroceria carece de mais controle lateral, é melhor mesmo que ela atue dessa forma.

A grande aposta da marca vai para a nova versão Attraction 1.6 automática, que, tabelada em R$ 58.540, traz um bom custo-benefício. No preço já está incluída a central multimídia com tela de 7” e recursos como o MirrorLink e o Apple CarPlay, além de ar-condicionado, computador de bordo, travas e vidros elétrico, volante com regulagens de altura e profundidade, direção com assistência elétrica, pneus “verdes” nas dimensões 195/60, dentre outros equipamentos. Ela passa a ser a versão mais acessível para quem quer um Citroën C3 automático a partir da linha 2018.

Se compararmos com outro hatch 1.6, no caso o Hyundai HB20, o valor do C3 Attraction automático não deixa de ser competitivo, uma vez que, se colocarmos a central multimídia em sua versão Comfort Plus, o preço tabelado do HB20 é de R$ 59.580.

Além de oferecer 3 anos de garantia, a Citroën também está investindo para melhorar a imagem de seu pós-vendas com iniciativas como as três primeiras revisões tabeladas em R$ 365 cada. Sem dúvida o Citroën C3 melhorou muito em sua linha 2018 com a chegada do câmbio automático de 6 marchas, tipo de transmissão cada vez mais procurada em qualquer segmento, porém nos resta saber se ele terá fôlego para enfrentar a concorrência dos novos Fiat Argo e VW Polo.

Ficha técnica

Citroën C3 2018 Attraction 1.6 16V flex automático 4p
Preço R$ 53.990 (08/2017)
Categoria Hatch compacto
Vendas em 2017 7.108 unidades
Motor 4 cilindros, 1587 cm³
Potência 115 cv a 5750 rpm (gasolina)
Torque 16,1 kgfm a 4000 rpm
Dimensões Comprimento 3,944 m, largura 1,708 m, altura 1,521 m, entreeixos 2,46 m
Peso em ordem de marcha 1182 kg
Tanque de combustível 55 litros
Porta-malas 300 litros
Veja ficha completa

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo |