Um dos lançamentos mais aguardados de 2017, o Fiat Argo ainda não completou um mês nas lojas e a montadora italiana optou por fazer uma apresentação “parcelada” do carro. Em primeiro lugar as versões mais caras do hatch foram reveladas à imprensa especializada, como você conferiu em nosso teste a bordo do Argo Precision 1.8 automático. Agora chegou a vez de falar de uma das versões mais importantes dentro do mix de vendas do Argo, no caso a Drive 1.0. Segundo estimativas da montadora italiana, ela deverá responder por cerca de 35% da procura pelo hatch, o montante mais elevado dentro das 5.000 unidades/mês que a Fiat espera emplacar com o Argo a partir dos próximos meses. 

Mas faz sentido, em uma gama que já conta com Mobi, Uno e Palio com motorização 1.0, oferecer esse propulsor no sofisticado Argo? “A ideia é que o Argo Drive 1.0 atenda aqueles consumidores que procuram um carro econômico, mas sem abrir mão de uma proposta mais moderna como o Argo”, explica Adriano Resende, responsável pela área de vendas da Fiat.

E de economia o Argo 1.0 entende. Segundo dados aferidos de acordo com o Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular, a versão é capaz de percorrer 14,2 km/l na cidade com gasolina (9,9 km/l com etanol) e 15,1 km/l com gasolina na estrada (10,7 km/l recebendo etanol). Uma das benesses de um projeto moderno como é o caso do Argo é o fato dele ser o único da categoria a contar com start-stop de série em todas as versões, o que ajuda muito a poupar combustível em especial na cidade, perfil de uso de cerca de 70% dos clientes do Argo 1.0 de acordo com estimativas da Fiat.

O bom é que a Fiat também não descuidou dos atributos de pós-vendas, já que o custo de propriedade é algo relevante sobretudo em um carro pensado para ser comedido nos gastos. O preço das três primeiras revisões do Argo Drive 1.0, até 30.000 km, soma R$ 1.044. O valor é 18,7% menor que o praticado para o Chevrolet Onix LT 1.0 e 11,1 inferior ao que o dono de um Hyundai HB20 1.0 precisa pagar no período. Para compensar o fato dos 5 anos de garantia do HB20, a Fiat oferecerá aos clientes do Argo a possibilidade de ampliar a garantia original de fábrica de 3 anos. Se você quiser mais 1 ano de cobertura extra é só pagar R$ 1.070. Se você quiser 2 anos a mais, o custo sobe para R$ 1.776.  

Mas e na hora de comprar? O Fiat Argo Drive 1.0 já está nas lojas e parte de R$ 46.800. Seja na precificação, na composição do conteúdo das versões e, por fim, na estratégia comercial, a Fiat sempre olhou para os dois modelos mais vendidos do país, no caso o Chevrolet Onix e o Hyundai HB20. Analisando o conteúdo de cada um deles, o Onix LT 1.0 (versão que concorre com o Argo Drive 1.0), custa R$ 46.150 e sai de fábrica com um pacote semelhante ao Argo 1.0, com direção elétrica, ar-condicionado, travas e vidros elétricos, dentre outros. O Onix LT 1.0 pode não ter o start-stop de série, mas ao menos conta com rádio de série. O mesmo vale para o Hyundai HB20 1.0, que desde a versão Comfort por cativantes R$ 42.500, não deixa o motorista com saudade de sua música preferida.

Mas hoje vivemos tempos conectados e um dos opcionais para o Argo 1.0 é justamente a interessante central multimídia que acrescenta R$ 1.990 no preço do modelo. O mesmo equipamento para o Onix LT exige um investimento menor, no caso R$ 1.400, porém o equipamento presente no Fiat é superior ao oferecer resolução HD em sua tela de 7”. Quem adquire a central multimídia no Argo também recebe uma prática segunda porta USB para os passageiros do banco traseiro. Tanto no MyLink da Chevrolet como no “kit multimedia” do Argo, você encontra a praticidade do Apple CarPlay e do Android Auto para conectar seu smartphone com a central multimídia. O mesmo ocorre com o Hyundai HB20, porém na configuração Comfort Plus blueMedia, que é tabelada em R$ 48.530.

Se você tiver um pouco de fôlego financeiro, vale a pena acrescentar o “kit parking” para a central multimídia do Argo. Ele traz a praticidade e a segurança do sensor de estacionamento com a câmera de ré traseira, o que torna qualquer manobra mais fácil. Com esse pacote, o preço do Argo Drive 1.0 atinge R$ 49.990. De qualquer forma, a Fiat prevê que 80% dos compradores do Argo Drive 1.0 deverão realizar os pedidos do carro com a central multimídia, o que mostra a relevância desse equipamento. Seguramente as unidades equipadas com a central terão melhor liquidez na hora da revenda.

Por chegar depois ao mercado, o Fiat Argo tem a obrigação de oferecer um conjunto mais interessante do que Onix LT e e as versões mais caras do HB20 1.0. E isso ele cumpre muito bem. A bordo do Argo você encontra o bom espaço interno do Onix com a vantagem do acabamento caprichado que a Fiat preparou para ele. Mesmo nesta que é a sua versão mais acessível, o Argo 1.0 não parece espartano ou um carro que ficou “pelado” demais frente às demais versões. 

Quatro adultos se acomodam com conforto no Argo, que tem uma cabine parecida com a do Onix e do Ford Ka em termos de sensação de espaço. Na comparação com o HB20, quem vai usar o banco traseiro se sente melhor acomodado no Argo do que no hatch de entrada da Hyundai. Ponto a favor do Argo vai para o porta-malas de 300 litros, mesma capacidade tolerada pelo Hyundai HB20.

Na hora de rodar, a própria Fiat reconheceu que sua meta era superar – ou ao menos igualar – o desempenho do Argo com o HB20. A missão tornava-se ainda mais árduo para a equipe de engenharia mineira considerando o fato de que o Argo é 100 kg mais pesado que o Hyundai.

 
 
Fiat Argo 2018
 
Fiat Argo 2018
Fiat Argo 2018
Fiat Argo 2018
 
Fiat Argo 2018
Fiat Argo 2018
Fiat Argo 2018
 
Fiat Argo 2018
Fiat Argo 2018
Fiat Argo 2018
 
Fiat Argo 2018
Fiat Argo 2018
Fiat Argo 2018
 
Fiat Argo 2018
Fiat Argo 2018
Fiat Argo 2018
 
Fiat Argo 2018
Fiat Argo 2018
Fiat Argo 2018
 
Fiat Argo 2018
Fiat Argo 2018
Fiat Argo 2018
 
Fiat Argo 2018
Fiat Argo 2018
Fiat Argo 2018
 
Fiat Argo 2018
Fiat Argo 2018
Fiat Argo 2018
 
Fiat Argo 2018
Fiat Argo 2018
 
 

A estratégia da Fiat foi priorizar muito mais o torque do que a potência oriunda do motor 1.0 Firefly com 3 cilindros. O fato do cabeçote com apenas 2 válvulas por cilindro reforça essa aplicação do propulsor. Com até 77 cv utilizando etanol, quem compara esse dado com os competidores verá que o Argo está longe de entregar a melhor potência no segmento, mas o torque máximo de 10,9 kgfm com o mesmo combustível resulta em um desempenho parelho com o que Onix LT e Hyundai HB20 oferecem.

É claro que você tem que ter em mente as limitações que um motor 1.0 aspirado entrega em qualquer carro. Segundo testes da Fiat, o Argo Drive 1.0 é capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em 13,4 segundos e alcançar 162 km/h com etanol, números que estão longe de empolgar, mas são bons para a categoria dos hatches compactos 1.0.

Das demais versões, o Argo 1.0 herda o bom comportamento dinâmico e o acerto primoroso da suspensão sobretudo na dianteira. O conforto dinâmico também é garantido mesmo em vias esburacadas. Uma ressalva vai para o câmbio, mantendo os engates longos demais como visto nos demais modelos da Fiat. Talvez uma revisão nesse ponto seria bem-vinda. A direção com assistência elétrica tem respostas bem calibradas, assim como o freio e seu pedal, levemente mais sensível (e esportivo) do que o encontrado na categoria. Tudo isso agrada na hora de dirigir o Argo 1.0. 

Se você faz questão de um pouco mais de ânimo nas resposta e procura um hatch manual, talvez seja interessante considerar a compra do Argo Drive com o motor 1.3 da mesma família Firefly. Com 109 cv e 14,2 kgfm de torque, ele leva o Argo Drive de 0 a 100 km/h em razoáveis 10,8 segundos, sendo que o consumo fica em 12,9 km/l na cidade com gasolina e 14,2 km/l em ciclo rodoviário. São médias mais elevadas em relação ao Argo 1.0, mas mesmo assim ninguém poderá classificá-las como ruins.

Vale a pena comprar o Fiat Argo Drive 1.0? Particularmente falando, creio que o Argo foi um modelo concebido com um tanto zelo na parte dinâmica que um motor mais apropriado para explorar essa característica do carro cai muito bem. A impressão é que a versão 1.0 do Argo existe ali apenas para constar ou fazer a cabeça daqueles que pensam que carro barato e econômico precisa ser 1.0. De qualquer forma, o Argo Drive testado aqui é um modelo muito bem resolvido dentro de sua proposta sobretudo frente ao Chevrolet Onix LT, Hyundai HB20 e cia. Nossa sugestão, contudo, é que vale a pena considerar o investimento e partir para o Argo Drive 1.3, que tem preço sugerido de R$ 53.900 com câmbio manual. Você terá respostas mais interessantes ao volante sem sacrificar o consumo. 

Ficha técnica

Fiat Argo 2018 Drive 1.0 6V flex manual 4p
Preço R$ 46.800 (08/2017)
Categoria Hatch compacto
Vendas em 2017 9.041 unidades
Motor 3 cilindros, 999 cm³
Potência 72 cv a 6000 rpm (gasolina)
Torque 10,4 kgfm a 3250 rpm
Dimensões Comprimento 3,998 m, largura 1,724 m, altura 1,503 m, entreeixos 2,521 m
Peso em ordem de marcha 1105 kg
Tanque de combustível 48 litros
Porta-malas 300 litros
Veja ficha completa

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo |