Os números de 2016 são ruins, todos sabem, mas não dá para reclamar de tédio. As vendas de veículos este ano estão surpreendentes, mas mais pelas mudanças de posição do que pelos números absolutos.

Quem imaginaria a Chevrolet liderando pelo sexto mês consecutivo? Pois é verdade. Ou que a Jeep figurasse entre as 10 marcas mais vendidas do país? Ela é nova colocada até o momento. Mas o que mais chama a atenção é a queda da Ford.

Sim, a marca americana, uma das maiores do mundo e ‘dona’ do 4º lugar no ranking de vendas há décadas despencou em 2016. Ela não só perdeu o posto para a cada vez mais admirada Hyundai como acaba de cair para a 6ª posição no acumulado de 2016. Quem a ultrapassou agora foi a Toyota.

Crise ignorada

Não se trata, porém, de um fenômeno. As mudanças um tanto bruscas para um mercado costumeiramente previsível vêm justamente do fato de o consumidor andar comprando apenas veículos com imagem mais confiável. Já que é para gastar melhor ser em algo garantido. Por isso modelos como o HB20, o HR-V ou o Corolla insistem em ignorar a crise no país.

Veja também: Ranking de vendas por marca em 2016

No caso da Toyota, acrescente aí a nova Hilux e seu irmão SUV, o SW4, que começaram o ano vendendo bem. Mas é engano achar que o sucesso da marca japonesa se resume a eles. Mesmo o Etios, sempre criticado, anda emplacando um volume respeitável. Basta dizer que a versão sedã vendeu mais que o Fiesta e o Ka+ somados em março. É mole?

Do lado da Ford, a situação é um tanto inusitada. A marca se orgulha da linha global de produtos, uma das mais atuais do mercado. Mas mesmo isso não tem sido suficiente para mantê-la em destaque. Uma das razões é que ela compete com veículos que são difíceis de superar (veja quadro).

O Ka, por exemplo, vende bem e pode pular para o 4º lugar no ranking, mas o Onix e o HB20 sobram nesse segmento. O Focus está em linha com o mundo, no entanto, está atrás do Golf no Brasil. A versão sedã, então, é de dar dó: mesmo rebatizada como ‘Fastback’, ela vende 20 vezes menos que o Corolla, aquele que não tem ESP nem como opcional. No caso da Ranger, prestes a mudar, a diferença para a Hilux é de três para um.

Ford vs. Toyota em vendas
Autoo

Embora tenha uma linha mais ampla, a Ford não tem produtos que vendam tanto quanto os da Toyota

Mesmo onde sobrava a coisa anda feia. O sedã Fusion, por exemplo, sofre com a concorrência dos modelos alemães, parte deles feita no Brasil agora. Já o EcoSport, menina dos olhos da marca, apanha feio do HR-V e Renegade.

Se a perda é reversível? Provável. A Ford tem uma rede grande e produtos conhecidos, mas para isso será preciso oferecer algo mais do que a concorrência. Itens como o aguardado motor 1.0 turbo Ecoboost é um bom sinal desde que ele não seja razão de desapontamentos como o problemático câmbio Powershift do Fiesta, Eco e cia. Aí é melhor se preparar para ver a Renault e a Honda no seu calcanhar.

Ricardo Meier

Publisher do AUTOO é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier |