Mais uma vez, o mercado de automóveis no Brasil surpreendeu. O mês de maior fechou com aumento nas vendas tanto em relação a abril quanto a maio de 2008. Foram 237 388 unidades vendidas dos chamados veículos leves, que reúnem automóveis e utilitários de até 3,5 toneladas. Em abril esse total havia sido de 224 413 e em maio do ano passado, de 229 976, segundo dados da Fenabrave, a associação das concessionárias.

O acumulado do ano também apresenta melhora, mais modesta, é verdade, mas ainda assim inesperada. Com isso, cresce a expectativa pelo fim da isenção do IPI, que contribuiu para manter aquecido o mercado este ano. Para alguns especialistas, o governo deve reduzir gradativamente a isenção, para não causar um impacto muito grande no mercado.

A Fiat foi a líder de vendas em maio, com 60 619 unidades emplacadas, alta de 4,1%, seguida pela Volkswagen, com 55 593 unidades e crescimento de 5,5% em relação a abril. A Chevrolet, apesar das notícias ruins vindas da matriz, teve seu segundo melhor mês em 2009 com 47 866 exemplares vendidos, alta de 17,9%.

Entre as coadjuvantes, destaque para as sul-coreanas Hyundai e Kia. Esta última vendeu 1 527 veículos, alta de 23,7% enquanto a marca do utilitário Tucson e do sedã Azera ultrapassou a marca de 5 000 unidades vendidas. Esse volume é próximo do que vende a Citroën, marca que possui produtos fabricados no Brasil e na Argentina.

No pelotão do fundom a Suzuki e a Audi foram as marcas que mais cresceram: a primeira já é 15ª marca mais vendida do país e a segunda emplacou 40% a mais se comparado a abril.

Veja o ranking de vendas completo aqui

Ricardo Meier

Publisher do AUTOO, é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier | http://www.jcceditorial.com.br/