O Phaeton foi uma tacada equivocada da Volkswagen. O grande sedã tem motor, qualidade, espaço e requinte para enfrentar BMW Série 7, Mercedes-Benz Classe S e Audi A8 – só não tem o status dos rivais, uma das prioridades dos compradores desse segmento. Com vendas pífias desde seu lançamento, em 2002, o Phaeton pode trocar a Europa por EUA e China, e desistir de brigar com a trinca alemã. 

Segundo a publicação inglesa Autocar, a VW prepara uma nova geração do modelo – que acabou de ganhar uma reestilização – mais alinhada mecanicamente e visualmente com os EUA, onde o sedã parou de ser vendido em 2009. “Não há dúvidas de que o Phaeton precisa voltar aos EUA”, diz uma fonte do site. Na China, a VW espera vender 3.000 unidades do modelo atual. 

A nova geração incluiria uma nova plataforma, ainda não definida pela marca. Segundo o site, poderia ser uma versão estendida do A6 ou até mesmo o exemplar de alumínio do A8. Quanto à motorização, devem permanecer os blocos V6, V8 e W12 – além da chegada de um propulsor híbrido, emprestado do novo Touareg.

Rodrigo Mora

|