Foram 22 anos dando a última palavra no design da Renault. O francês Patrick Le Quément deixou o comando da área de estilo da marca em outubro do ano passado, mas somente agora seu sucessor, o holandês Laurens van den Acker, começa a mostrar a que veio.

É um momento importante para a Renault, afina, Léquement, embora tenha produzido alguns belos modelos, nunca conseguiu dar uma cara mundial à marca. Pelo contrário. Alguns de seus modelos ficaram mais conhecidos pelo exotismo que por algum traço de beleza, caso do Avantime e do Vel Satis.

Já van den Acker tem um currículo que explica sua contratação. Das mãos dele surgiram os atuais modelos esguios e diagonais da Mazda, entre outras marcas que trabalhou como a Ford e a Audi.

O conceito DeZir, revelado esta semana, é o primeiro trabalho sob a batuta do holandês e antecipa alguns traços do que veremos nos próximos carros da marca. O grande desafio nesses casos é descobrir quais são eles. Muitas vezes, apenas pequenos detalhes estão inseridos num projeto que foi feito para chamar a atenção.

O DeZir, por exemplo, traz uma grade com várias lâminas escuras, solução repetida na traseira. Pode ser um indício de como será a frente dos carros da Renault, assim como o recorte do para-choque. Van den Acker também deu um destaque incomum ao logo da marca, um sinal que ele valorizará mais esse aspecto.

Como conceito, o DeZir traz um motor elétrico de 150 cv capaz de levá-lo a 100 km/h em apenas cinco segundos. Seu baixo peso, de apenas 830 kg, permite que o alcance seja de 160 km sem recarregar as baterias.

A Renault mostrará o DeZir no Salão de Paris ao lado do novo Clio, este sim, um modelo que dirá com mais clareza o que a marca pretende daqui em diante.

Ricardo Meier

Publisher do AUTOO, é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier | http://www.jcceditorial.com.br/