Sem mudanças significativas desde que foi lançado, em dezembro de 2007, o Sandero apela para séries especiais. Depois da Vibe, o hatch explora seu lado "esportivo" com a versão GT Line. Limitada (a Renault não diz em quantas unidades ou até quando), a nova edição chega por R$ 42.590, oferecida nas cores branco Glacier, vermelho Vivo, prata Etoile e preto Nacré.

O Sandero GT Line se diferencia pelos apliques estéticos: faróis com máscara negra, faróis de neblina com moldura preta, rodas aro 15 de desenho exclusivo, aerofólio, lanternas escurecidas e ponteira do escapamento cromada – além de inscrições da edição e adesivos.

Internamente, há detalhes que remetem à versão, como bancos com costuras vermelhas e o interessante painel com conta-giros com fundo branco e o velocímetro em preto. O visual do GT Line foi tarefa do RDAL, primeiro estúdio de design da Renault na América do Sul – no caso, localizado em São Paulo.

De série, a novidade traz airbag duplo, ar-condicionado, direção hidráulica, computador de bordo, CD player com MP3 e comando satélite na coluna de direção, alarme e travas e vidros dianteiros elétricos. O ABS, único opcional do GT Line, custa R$ 1.000. Quanto ao motor, é o mesmo bom 1.6 16V Hi-Flex de 107/112 cavalos de potência, que equipa as demais versões "não esportivas". Quem gostou pode ver o Sandero GT Line de perto no Salão do Automóvel, que vai até domingo.  

Rodrigo Mora

|

Veja mais notícias da marca