A Toyota Mercosul lançou comunicado nesta quinta-feira (26) a respeito dos períodos de paralisação das fábricas em Indaiatuba, no interior de São Paulo, e Zárate, na Argentina. Segundo a montadora, as plantas terão seu ritmo de produção interrompido por conta da falta de peças importadas do Japão, que ainda sofre com os efeitos do terremoto e tsunami de 11 de março, responsável por danos em diversas instalações de fornecedores.

A unidade de Indaiatuba, onde é produzido o Corolla, ficará parada por um dia – 27 de junho. Já a fábrica argentina, que faz a picape Hilux e o SUV Hilux SW4, terá o segundo turno de trabalho suspenso por dois dias – nos 17 e 24 do próximo mês. De acordo com a marca japonesa, o ajuste para equilibrar a produção não afetará o nível de empregados nas plantas que empregam mais de 7.100 pessoas nos dois países.

A Toyota, porém, ainda não tomou nenhuma decisão a respeito do cronograma de produção para após 30 de junho. Diferente da Honda, que já anunciou que reduzirá sua produção e demitirá 400 operários a partir do próximo mês.

Thiago Vinholes

|