A experiência no segmento de luxo começou com o Porsche Cayenne há 15 anos. Criticado por alguns puristas e fãs mais aguerridos da marca alemã, o Cayenne foi crucial para a história da Porsche e inclusive ajudou a fabricante a se recuperar de uma severa crise financeira.

Os anos foram passando e cada vez mais os utilitários esportivos surgiram em diferentes tamanhos, propostas e faixas de preços. Lá em cima, no olimpo dos carros premium, a Porsche reinava sozinha com o Cayenne, enquanto as marcas mais generalistas investiam cada vez mais nos SUVs. O próprio Ford EcoSport, lançado em 2003 no Brasil, é o precursor do que hoje classificamos com SUVs compactos, a categoria mais em alta no país. 

Até então um segmento de ampla participação nos EUA, os novos utilitários esportivos, cada vez mais voltados para a cidade do que atividades off-road, foram ganhando a preferência dos consumidores ao redor do planeta graças ao interior espaçoso, a maior sensação de segurança, dentre outras qualidades. Em 2016 o sucesso ficou comprovado, com os SUVs representando um quarto de todos os carros vendidos no mundo

Chegou o momento de todas as fabricantes pegarem carona nesse sucesso, incluindo, obviamente, aquelas que trabalham para um público bem seleto. A Bentley criou o Bentayga, que já está fazendo muito sucesso lá fora, enquanto até a Rolls-Royce vai entrar no segmento.  

A aceitação e, consequentemente, a procura por utlilitários é tamanha que muitos grupos foram forçados a rever suas estratégias, em especial a Jaguar. Pertencendo a um conglomerado que agrupa a Land Rover, tradicional conterrânea especializada em veículos 4x4, não havia motivo para o pessoal da Jaguar ter que se preocupar com um SUV, correto?

 
 
Jaguar F-Pace 2017
 
Jaguar F-Pace 2017
Jaguar F-Pace 2017
Jaguar F-Pace 2017
 
Jaguar F-Pace 2017
Jaguar F-Pace 2017
Jaguar F-Pace 2017
 
Jaguar F-Pace 2017
Jaguar F-Pace 2017
Jaguar F-Pace 2017
 
Jaguar F-Pace 2017
Jaguar F-Pace 2017
Jaguar F-Pace 2017
 
Jaguar F-Pace 2017
Jaguar F-Pace 2017
Jaguar F-Pace 2017
 
Jaguar F-Pace 2017
Jaguar F-Pace 2017
Jaguar F-Pace 2017
 
Jaguar F-Pace 2017
Jaguar F-Pace 2017
Jaguar F-Pace 2017
 
Jaguar F-Pace 2017
Jaguar F-Pace 2017
Jaguar F-Pace 2017
 
Jaguar F-Pace 2017
Jaguar F-Pace 2017
Jaguar F-Pace 2017
 
Jaguar F-Pace 2017
Jaguar F-Pace 2017
Jaguar F-Pace 2017
 
Jaguar F-Pace 2017
Jaguar F-Pace 2017
Jaguar F-Pace 2017
 
Jaguar F-Pace 2017
Jaguar F-Pace 2017
Jaguar F-Pace 2017
 
Jaguar F-Pace 2017
Jaguar F-Pace 2017
 
 

Pois é, a Jaguar acreditou e o mercado confirmou a visão correta da fabricante inglesa: era necessário um SUV/crossover com o logotipo do felino ostentando a grade dianteira e a tampa do porta-malas. Mas como se diferenciar e entregar algo novo em relação ao que os consumidores poderiam encontrar na linha da própria Land Rover? A resposta veio no que a Jaguar poderia entregar com o primeiro SUV de sua história. 

Se os modelos da Land Rover focam no aspecto aventureiro, o pessoal da Jaguar resolveu mirar na parte dinâmica, com um acerto privilegiando a esportividade. Afinal, muita gente é atraída pela imponência e o visual robusto dos SUVs, porém não gostam das oscilações da carroceria e aquela sensação de conduzir um carro pesado demais nas curvas como era comum nos primeiros modelos da categoria. Muitos rumores (que não se confirmaram) davam conta de que a Jaguar sequer ofereceria opção de tração integral em seu SUV, algo que, mais para frente, foi desmentido com a chegada do F-Pace às lojas.

Nós tivemos a oportunidade avaliar a versão mais potente do Jaguar F-Pace, no caso a S, com o motor 3.0 V6 Supercharged calibrado para entregar 380 cv de potência. Para levar o felino para casa é preciso desaplicar nada menos do que R$ 406.300.

E o visual do F-Pace S vai ao encontro de todos os valores que a Jaguar quer transmitir com ele. Muito desse acerto dos designers vai para as rodas de liga leve aro 22” presentes nessa versão. Quem olha o F-Pace de perfil nota claramente trata-se de um SUV, contudo, o tamanho exagerado das rodas permitiu rebaixar levemente a carroceria, mantendo a altura em relação ao solo mais generosa, como um bom SUV tem que oferecer, mas sem comprometer a parte dinâmica. Comprometido mesmo fica parte do conforto dos passageiros, que sofrem quando o carro trafega pelo pisos irregulares. Se tivéssemos a excelente condição do pavimento das ruas e estradas inglesas as rodas aro 22” não representariam qualquer problema para o bem-estar dos passageiros, mas nosso piso tira grande parte do brilho do F-Pace S. O que é uma pena. 

De qualquer forma, além do perfil invocado promovido pelo conjunto de pneus e rodas, a dianteira é outro ponto forte do design do F-Pace S. O para-choque volumoso, repleto de entradas de ar, em conjunto com a grade dianteira bem pronunciada criam um conjunto feroz. Parece que ninguém vai ousar ficar em sua frente na estrada no momento em que F-Pace é visto pelo retrovisor. Parte desse encanto também vai para o para-choque, quase que esculpido com seus dois vincos bem pronunciados. 

Na parte traseira, o F-Pace é mais comedido, com as lanternas com iluminação por LED seguindo a proposta esguia dos faróis. A Jaguar teve uma iniciativa muito interessante em colocar um mecanismo de abertura elétrica para a tampa do porta-malas, uma conveniência interessante e que se espera de um carro de luxo. O compartimento, com volume para 508 litros de bagagens, também é muito bom. O F-Pace acomoda com conforto quatro adultos portanto tem lá seu apelo familiar.

Esses privilegiados de andar a bordo do F-Pace encontrarão o nível de requinte que se espera de um Jaguar, só que com um toque maior de esportividade. Estão lá o couro no banco, painel e laterais de porta, além de Alcântara no teto, porém tudo em uma tonalidade preta. No painel, o que prevalece são acabamentos de alumínio. Nada de madeira ou traços de conservadorismo a bordo do F-Pace S: a ideia aqui é provocar emoções.

Ainda na cabine, destaque para o generoso teto solar panorâmico, os formato dos bancos bem anatômicos e com várias regulagens elétricas para motorista e passageiro. A qualidade dos revestimentos é digna de um carro de luxo, bem como soluções arrojadas a exemplo do seletor rotativo do câmbio automático, que se eleva quando a partida é acionada.

E ao acionar a partida todo mundo que está a bordo do F-Pace S já é agraciado com o belo som do V6 entrando em ação. Dele são despejados 380 cv e mais de 45 kgfm de torque, tudo gerenciado pelo câmbio automático de 8 marchas e o sistema de tração integral. Tração esta que tem muito mais a função de controle dinâmico do que encarar situações fora do asfalto, é bom salientar. Equipado com controle de largada, o F-Pace S consegue acelerar de 0 a 100 km/h em 5,5 segundos.

Com 80% da carroceria fabricada com alumínio, o F-Pace deixa transparecer seu bom conjunto estrutural como é notado na ótima rigidez torcional. O conjunto de suspensão é digno de um esportivo, com destaque para o layout diferenciado do conjunto traseiro, batizado pela Jaguar de Integral Link. Com o conjunto de molas e amortecedores dispostos separadamente, cada um dels atua da melhor forma possível para compensar as forças que atuam sobre o eixo traseiro, melhorando o controle do carro. Com uma condução sem sustos, o F-Pace permite usufruir grande parte do que seu motor oferece. Um atributo bem interessante para quem quer um SUV e não abrir mão do prazer de dirigir.

O principal concorrente do Jaguar F-Pace é o Porsche Macan, que, também na faixa de R$ 400.000, é oferecido por aqui em sua versão de entrada S com um 3.0 V6 biturbo de 340 cv sob o capô. Em termos de desempenho, ambos praticamente empatam no 0 a 100 km/h com o Porsche cravando 5,4 segundos na prova. Para quem quer mais, o Macan também conta por aqui com a versão Turbo, com o motor saltando para um 3.6 V6 biturbo e a conta também aumentado na mesma medida: o preço atinge os R$ 500.000.

Ajudando a Jaguar a recuperar espaço no Brasil, o modelo já é um dos mais procuradas da marca por aqui ao lado do XE. O sucesso do F-Pace tanto no Brasil como no resto do mundo funcionou como o estímulo que faltava para a marca investir no desenvolvimento de mais SUVs para os próximos anos.

Um bom modelo para pegar a estrada com a família, o F-Pace pode se tornar um carro um pouco cansativo, em especial na versão S, para o uso diário devido à proposta extremamente esportiva. Se você pretende comprar um modelo na faixa de preço do Jaguar e quer um veículo mais versátil, talvez vale a pena considerar um Volvo XC90, por exemplo. Mas se a intenção é possuir um SUV mais visceral, aí o F-Pace desponta como uma excelente escolha. 

Ficha técnica

Jaguar F-Pace 2017 S 3.0 24V gasolina automático integral 4p
Preço R$ 406.300 (01/2017)
Categoria SUV grande
Vendas em 2017 585 unidades
Motor 6 cilindros, 2995 cm³
Potência 380 cv a 6500 rpm (gasolina)
Torque 45,8 kgfm a 4500 rpm
Dimensões Comprimento 4,731 m, largura 1,936 m, altura 1,652 m, entreeixos 2,874 m
Peso em ordem de marcha 1861 kg
Tanque de combustível 63 litros
Porta-malas 508 litros
Veja ficha completa

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo |