A Nissan deu um enorme passo no mercado norte-americano em março deste ano. Segundo ranking de vendas do The Wall Street Journal, as vendas do Altima (modelo acima do Sentra não oferecido no Brasil) subiram 31% no mês passado somando 32.289 unidades. Tal volume levou o carro da marca oriental a terceira colocação nos Estados Unidos, atrás apenas das picapes Ford F-Series (53.272 unidades vendidas) e Chevrolet Silverado (32.555). Por outra óptica, o sedã japonês foi o veículo de passeio mais vendido na região no mês passado.

O resultado foi obtido por conta da estratégia agressiva que a Nissan adotou nos EUA. Quem financiar um carro da marca em 5 anos tem taxa zero de juros. No caso de financiamentos em 6 anos, o juros é 1,9% ao ano, valor também abaixo da média das concorrentes no país.

Outro carro da Nissan que também subiu exponencialmente nos EUA é o Sentra. Segundo a fonte, as vendas do sedã cresceram 104,7% em março mais uma vez na comparação com o mesmo mês em 2010. Ao todo, 17.178 exemplares do carro foram emplacados no período.

Nissan também cresceu no Brasil

As estratégias agressivas da Nissan não são exclusivas para o mercado de carro dos EUA. Por aqui, a marca também está adotando medidas especiais para crescer. Segundo o ranking da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), as vendas da marca japonesa subiram 38,7% em março em relação a fevereiro deste ano, com 5.841 veículos emplacados.

As razões para o aumento são diversas. Desde o segundo semestre de 2010, a Nissan do Brasil vem vinculando uma série de propagandas agressivas, quando não polêmicas. Além disso, a marca está praticando preços competitivos e o mais importante: a fila de espera por seus automóveis importados do México (SentraTiida e Tiida Sedan) diminuiu por conta do aumento das importações para o país.

Thiago Vinholes

|