“A questão da fábrica será decidida entre outubro e novembro”, revelou ao AUTOO o presidente da BMW no país, Henning Dornsbusch. Apesar do otimismo, o executivo não garantiu que o projeto possa ser aprovado: “a matriz analisa outros mercados, mas o Brasil, sem dúvida, é um dos mais indicados devido ao seu potencial”, explicou Dornbusch.

Caso seja confirmada, a unidade brasileira ficará num estado que já possui outras montadoras: “por uma questão de facilidade”, acrescentou o presidente da marca. E o suposto veículo nacional – que Dornbusch não revela – será montado em regime de CKD, ou seja, terá suas peças trazidas para o país e terminado aqui.

Sobre a possibilidade de exportação, Dornbusch minimizou o fato já que para isso é preciso ter um mínimo de componentes nacionais. Segundo especialistas, o modelo favorito hoje é o crossover X1, um dos mais vendidos da marca.

Briga cabeça a cabeça

Curiosamente, Henning revelou que a previsão de vendas da BMW para este ano é de 10 mil unidades, a mesma que a Mercedes-Benz, sua principal rival, estimou na terça-feira, durante apresentação dos novos modelos marca. As duas marcas disputam cabeça a cabeça a liderança nacional entre os modelos premium.

“Cresceremos cerca de 20% este ano” garantiu o executivo, que previu que essa taxa deverá ser reduzida gradativamente nos próximos anos: “o segmento premium no Brasil é ainda muito pequeno em relação ao mercado como um todo, mas essa diferença está caindo”.

Ricardo Meier

Publisher do AUTOO, é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier | http://www.jcceditorial.com.br/