Todas as decisões futuras do Grupo Chrysler agora serão tomadas pela cúpula do Grupo Fiat, que oficializou nesta sexta-feira (3) a aquisição de mais 6% das ações da empresa norte-americana por US$ 500 milhões, pago ao Tesouro dos Estados Unidos. Com a transação, os italianos assumem o controle majoritário da empresa com 52% de seu capital.

Os papeis recém-adquiridos pertenciam ao governo dos Estados Unidos, que havia comprado parte da montadora durante seu processo de concordata em 2009. A negociação teve o aval do presidente dos EUA, Barack Obama, mas ainda terá de passar pelo crivo de órgãos regulatórios do país, o que pode levar até 3 meses.

A Fiat iniciou seus esforços para assumir o controle da Chrysler em 2009, quando comprou 20% das ações do grupo formado pelas bandeiras Dodge, Jeep e a própria Chrysler. O processo de ampliação do capital, até atingir o controle majoritário, aconteceu de forma gradual ao longo dos últimos três anos.

A aliança entre as montadoras já rendeu a Fiat a oportunidade de utilizar a fabrica do conglomerado americano em Toluca, no México, onde já é fabricado o Cinquecento destinado a mercados no continente americano, tanto no norte como no sul. A marca italiana também estampou seu logotipo no Dodge Journey, que foi rebatizado como Freemont e o da divisão Lancia em veículos da Chrysler. A estratégia das empresas inclui ainda a troca de experiências para o desenvolvimento de novos carros compactos, além de viabilizar o retorno da Alfa-Romeo aos EUA, previsto para 2012.

Thiago Vinholes

|