A Audi descarta a médio prazo, enquanto a Mercedes-Benz se aventurou e anos depois encerrou a produção do CLC por aqui. Mas a BMW considera, segundo informações da agência Reuters, a possibilidade de construir uma planta no País, motivada pelo crescimento de 50% em 2010 e as mais de 10.000 unidades comercializadas por aqui no último ano.

O recorde de vendas ainda é pequeno diante do número global de vendas, que ultrapassa o 1,46 milhões de veículos. No entanto, a marca alemã vê no Brasil grande potencial. “Para nós, se trata do significado e da importância do mercado, pois acreditamos que ele tem um grande futuro. O desenvolvimento do Brasil ao longo dos últimos dez anos é impressionante", justifica o chefe de produção da BMW, Frank-Peter Arndt, durante a conferência anual da marca. 

A BMW também estaria motivada, ainda de acordo com a Reuters, com o fato de o Brasil ter ultrapassado a Alemanha em 2010 e ter assumido a quarta posição do mercado global.

Rodrigo Mora

|