Os fantásticos M3, X5 M, X6 M e Série 1 M são sementes que germinaram, espermatozoides  que chegaram ao óvulo. Ao longo da existência da divisão M Power, a BMW criou inúmeros modelos que não passaram de protótipos, sem condições de chegar às ruas – ou por serem extremamente potentes, ou por serem inviáveis comercialmente. Confira alguns modelos revelados pela marca alemã que não passaram de exercícios de engenharia.

M6 CSL

Potente o bastante com seu motor V10 de 520 cv, o cupê ganharia a versão CSL (Cupê Esportivo Leve) para ficar ainda mais radical. A preparação incluía uma perda de 100 kg, mais torque e kits aerodinâmicos ativos. Depois de finalizar o carro, a BMW chegou à conclusão de que ele não seria economicamente viável. Atualmente, o M6 CSL faz parte do museu da BMW, que já apresentou a nova geração do Série 6.

M8

Se o 850 CSi já era um carro raro, imagine um M8. A BMW simplesmente removeu o V12 de 375 cv e instalou no seu lugar nada menos do que um V12 de 550 cv. A invenção, de 1990, pareceu extrema demais para a época e a marca (contrariando a divisão M Power) desistiu do projeto, que futuramente cederia seu motor para o McLaren F1.

X5 com tração traseira

Outra curiosa revelação da BMW foi a primeira geração do X5 com tração traseira e preparado pela M Power. O utilitário não foi pra frente justamente por não ter tração nas quatro rodas, premissa da BMW para seus SUVs. Se virasse realidade, alegraria seus proprietários com um motor de 700 cv e câmbio manual de seis velocidades, capazes de leva-lo a 300 km/h de velocidade máxima.

M5 de aniversário

E o que fazer com o tal motor V12? No ano passado, a BMW tentou encaixá-lo na geração anterior da M5, que comemorava os 25 anos da série. Ocorre que, grande o suficiente para levar um V10, o sedã não conseguiria carregar um V12.

Outras invenções da BMW que não vingaram foram um 318i M, versões perua para M3 e M5, a M3 picape e uma espécie de roadster que misturava um pouco de Z1 e outro tanto de Z3. Esse, ainda bem, não ganhou as ruas.

Rodrigo Mora

|