A situação já aconteceu no Brasil. Mas tratava-se de um Chevrolet Corsa da primeira geração. Indignado com o suposto descaso da Lamborghini com um defeito na sua Gallardo zero quilômetro, um chinês destruiu o carro a marretadas. E pelo que aponta o jornal local, o morador de Qingdao convocou ajudantes, em pleno Dia Mundial dos Direitos do Consumidor.

Tudo começou em novembro, quando a Gallardo se recusou a ligar o motor. Guinchado até a concessionária local, o esportivo não só voltou sem o primeiro problema resolvido, como retornou com avarias no chassis e no capô. Ninguém, obviamente, assumiu a responsabilidade. Até mesmo Stephan Winkelmann, CEO da marca italiana, foi contatado pelo cliente chinês, mas nenhuma resposta ou solução foi dada, de acordo com o relato do próprio cliente.

A resposta do consumidor veio em forma de marretadas públicas. O homem alega que a China tem se tornado um mercado altamente potencial para o consumo de luxo, mas que o pós-vendas de marcas premium ainda ficam aquém do serviço prestado na Europa, por exemplo.  Lembrando que um Lamborghini Gallardo, na China, custa ao redor de US$ 750.000.

Rodrigo Mora

|