Não importa que a Toyota e a Honda se revezem na liderança do segmento de sedãs médios. Quase todas as marcas que atuam no Brasil querem tirar uma casquinha desse rico filão. Por isso, a tarefa do Fluence é ingrata. Além de confrontar Corolla e Civic, a Renault precisará enfrentar gente nova no mercado como o 408, da Peugeot, o novo Jetta, da Volkswagen, e o Cruze, da Chevrolet. Confira a seguir o que cada marca prepara para essa disputa.

Toyota Corolla

O líder entre os sedãs vive uma fase especial, ajudado pela confusa estratégia da Honda, que lançou o City para concorrer com o Civic. Com isso, o Corolla sobra hoje no segmento com quase 50 mil unidades vendidas em 2010. Para 2011, a marca prepara um leve facelift no modelo, além de melhorias no motor 1.8.

Honda Civic

Apesar da velhice precoce, o Civic ainda mantém a vice-liderança, mas a resposta da Honda chegará em julho de 2011. É a nova geração do sedã que mantece as linhas gerais atuais, mas será mais econômico, equipado e potente.

Chevrolet Cruze

O Vectra já perdeu a batalha para os japoneses e por isso a Chevrolet prepara a chegada do Cruze, um sedã desenvolvido na Coréia do Sul e que está à venda em várias partes do mundo. Bonito, espaçoso e moderno, o carro será fabricado no Brasil dentro de um ano.

Citroën C4 Pallas

O modelo francês talvez seja o que está em maior desvantagem atualmente. Embora moderno e muito equipado, o Pallas já não vende como antes e a chegada de mais concorrentes deve piorar isso.

Ford Focus Sedan

A Ford vive uma situação estranha. A versão hatch do Focus vende bem, mas a sedã não emplaca. Para piorar, o modelo topo de linha custa parecido com o Fusion, um sedã de porte maior. A solução pode vir em 2013 quando chegará ao Brasil o Focus III, considerado por muitos o melhor médio que a Ford já fez.

Peugeot 408

O 408 será o mais próximo rival do Fluence. Tal qual o Renault, também o Peugeot passou por uma situação semelhante: o anterior, 307 Sedan, foi um fracasso e a montadora precisou repensar sua proposta para a categoria. Com motor 2.0 e visual mais atraente, o 408 chegará ao mercado em março.

Volkswagen Jetta

A Volks está devendo um bom sedã médio desde a época do Santana. Nem Bora, sem apelo e nem Jetta da 5ª geração (caro) preencheram essa lacuna, mas a nova geração do sedã tem tudo para acertar em cheio. Tem tecnologia, design atraente e preço adequado. Previsão de desembarque em março.

Nissan Sentra

O Sentra foi generoso com o Fluence: são dele o motor e o câmbio CVT que equipam o sedã francês. Por essa razão, a carreira irregular do Nissan pode ficar mais difícil ainda. Mas há quem prefira o acabamento e o estilo da marca japonesa.

Hyundai Elantra

Ele já foi vendido aqui e era um patinho feio na época – começo dos anos 2000. Agora o sedã coreano está bem mais atraente e se prepara para enfrentar o Civic e o Corolla nos Estados Unidos. Ou seja, se ele for bem por lá é capaz de repetir o feito aqui no Brasil, a partir do final do ano que vem.

Outras marcas

Além desses modelos, existem sedãs com preço menor ou com fraco apelo de vendas. A Fiat oferece o Linea que não pegou no mercado. Já a Kia vende com sucesso o Cerato, mas o sedã tem preços mais em conta e porte um pouco menor. A Mitsubishi vai nacionalizar o Lancer, mas não se espera muito porque os japoneses focam em off-road no país. Alguns chineses também tentam entrar no clube, mas não se espera demais deles ainda. É o caso da Chery com o Cielo e da JAC com o J5.

Ricardo Meier

Publisher do AUTOO, é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier | http://www.jcceditorial.com.br/