Já pensou ver no mesmo time Robinho, Messi, Robben, David Villa, Cristiano Ronaldo e outros craques atuais? Tudo bem, basta ver o Real Madrid, o Barcelona ou os italianos Milan e Internazionale, por exemplo, para satisfazer a curiosidade. Agora, e se o assunto for carro? Quem foi ao Salão do Automóvel teve a rara oportunidade de ver lendas das pistas distantes poucos metros umas das outras.

Entre mais de 450 veículos expostos, resolvemos fazer nosso time dos sonhos do salão. Eles podem até não jogar no mesmo clube hoje, mas reúnem números superlativos sobre quaisquer argumentos. São mais de 7 mil cv, 800 kg de torque, 3.724 km/h de velocidade máxima e quase R$ 35 milhões em valor aproximado. Em ordem alfabética, mas com seus atributos destacados, conheça os onze eleitos pelo AUTOO.



Aston Martin DBS

Velocidade máxima 0 a 100 km/h Potência Preço
302 km/h 4,3 s 517 cv R$ 1,25 milhão

A inglesa Aston Martin tem um modelo mais exclusivo, o One-77, mas ele não veio ao salão, portanto, escolhemos o mais caro deles, o belo DBS com seu motor V12 de 517 cv e 58 kgfm de potência. Mesmo assim, seus números são menos impressionantes que de seus companjheiros: 302 km/h de máxima e 0 a 100 km/h em 4,3 segundos.

Audi R8 Spyder

Velocidade máxima 0 a 100 km/h Potência Preço
313 km/h 4,1 s 525 cv R$ 785 mil

De longe, o mais barato (se assim podemos considerar R$ 785.000), a versão conversível do R8, da Audi, bate muita gente de teto fixo. Ele é mais veloz que o Aston Martin DBS e que o Spyker C8: atinge 313 km/h e acelera de 0 a 100 km/h em 4,1 segundos, nada mal para quem não tem uma aerodinâmica tão favorável. O custo-benefício é o melhor – cada km/h custa apenas R$ 2.508.

Bentley Continental GT Supersports

Velocidade máxima 0 a 100 km/h Potência Preço
329 km/h 3,9 s 621 cv R$ 1,35 milhão

Comparado a outros membros dessa lista, o Supersports até parece deixa a desejar, mas o cupê inglês anda muito e não perde o luxo e conforto. Ele é o 6º em velocidade final (329 km/h) e o 8º em aceleração (3,9 segundos). Além disso, o Bentley ainda roda com etanol a uma razão de 85%.


Bugatti Veyron

Velocidade máxima 0 a 100 km/h Potência Preço
406 km/h 2,8 s 1.001 cv R$ 7,7 milhões

Apesar da fama, versão Gran Sport do Bugatti Veyron não é o carro mais veloz do salão, priviégio do sueco CCXR, mas não decepciona os fãs. Seus 1.001 cv e quase 130 kgfm de torque levam o modelo à velocidade máxima de 406 km/h e o aceleram de 0 a 100 km/h em 2,8 segundos. No entanto, ele tem o 2º “km/h” mais caro: são R$ 18.965 para cada um dos 406.

Ferrari 599 GTO

Velocidade máxima 0 a 100 km/h Potência Preço
335 km/h 3,3 s 670 cv -R$ 2,5 milhões

Não se engane com a aparência comum da 599 GTO. A própria Ferrari faz questão de propagar que o esportivo de rua é o mais veloz da história da marca: são 335 km/h de velocidade máxima e apenas 3,3 segundos para sair da imobilidade e atingir 100 km/h. Pena que tenha que entrar na fila para pagar mais de R$ 2,5 milhões por ela.

Koenigsegg CCXR

Velocidade máxima 0 a 100 km/h Potência Preço
417 km/h 2,8 s 1.100 cv R$ 6 milhões

Ele até não chama tanto a atenção no estande da Platinuss, apesar da pintura laranja. Mesmo com um motor bem menor que o do Veyron e sem toda a tecnologia embarcada dele, o Koenigsegg CCXR anda mais e gera mais potência em seu motor V8. São 417 km/h de máxima e os mesmos 2,8 segundos para ir de 0 a 100 km/h. A Bugatti teve de criar o Veyron Super Sport com 1.200 cv para superá-lo. Uma das razões para o desempenho espetacular está no tanque: 100% de etanol.

Lamborghini Superleggera

Velocidade máxima 0 a 100 km/h Potência Preço
325 km/h 3,4 s 562 cv R$ 1,7 milhão

Essa versão especial do Gallardo fala grosso. São 325 km/h de velocidade máxima e 0 a 100 km/h feito em 3,4 segundos. E o motor V10 nem é muito potente – 562 cv. Então por que o Lamborghini sobra na pista? Simples, ele tem uma construção feita com materiais superleves, daí seu sobrenome, quer dizer justamente isso em italiano.

Mercedes-Benz SLS GT3

Velocidade máxima 0 a 100 km/h Potência Preço
317 km/h 3,8 s 571 cv R$ 900 mil

Por falar em custo-benefício, o bólido cromado que está no estande da Mercedes-Benz é desses que faz muito com “pouco”. O SLS é desses carros que mostram porque vieram: 317 km/h de velocidade máxima e 3,8 segundos para ir de 0 a 100 km/h. A versão do salão é a GT3, preparada para corrida e que custa R$ 900.000. Maior prova que ele adora comer asfalto nem precisa.

Pagani Zonda R

Velocidade máxima 0 a 100 km/h Potência Preço
350 km/h 2,7 s 750 cv R$ 10 milhões

Outra versão de corrida presente no salão paulistano, o Zonda R é o mais caro automóvel presente no Anhembi, como dito aqui. Tanta exclusividade tem uma razão: ninguém acelera tão velozmente quanto o italiano de origem argentina. São apenas 2,7 segundo para atingir 100 km/h, um décimo menos que rivais como o CCXR e Veyron e uma eternidade nessa área. Mas o preço por isso é absurdo: R$ 10 milhões.

Porsche 911 GT2 RS

Velocidade máxima 0 a 100 km/h Potência Preço
330 km/h 3,5 s 620 cv R$ 1,5 milhão

Incrível como a Porsche, a cada ano que passa, tira mais e mais de uma fórmula pouco alterada. O cupê 911 pode ser um esportivo divertido e tranqüilo nas versões mais em conta, mas um demônio nas pistas. Basta pagar R$ 1,5 milhão pela versão GT2 RS com 620 cv de potência. No Anhembi, ele só perde para os exóticos e seus motores gigantescos.

Spyker C8 Aileron

Velocidade máxima 0 a 100 km/h Potência Preço
300 km/h 4,5 s 406 cv R$ 990 mil

Talvez o holandês seja o nosso Felipe Mello: está aqui, mas talvez não merecesse já que há modelos mais baratos que andam mais que ele, mas que seleção não tem seu jogador polêmico. O Spyker merece a visita pelo design incomum, inspirado em caças de combate, mas o motor V8 de apenas 400 cv comprado da Audi poderia dar lugar um propulsor mais adequado. Ainda assim, C8 Aileron chega a 300 km/h e o leva de 0 a 100 km/h em 4,5 segundos. O preço do seu passe é salgado: R$ 990.000.

Ricardo Meier

Publisher do AUTOO, é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier | http://www.jcceditorial.com.br/